terça-feira, 30 de abril de 2013

Sindasp-SP ganha na Justiça direito a aposentadoria aos 25 anos para filiados








O Sindasp-SP (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo) garantiu na Justiça o direito a aposentadoria aos 25 anos de atividade para os filiados da instituição.
 
O parecer favorável foi concedido pela 6ª Vara da Fazenda Pública, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), na ação coletiva ingressada pelo Departamento Jurídico do Sindasp-SP. Vale lembrar que a decisão é de primeira instância e que favorece somente aos filiados da instituição.
 
O Sindasp-SP argumentou que os servidores exercem suas funções em ambientes altamente insalubres ou perigosos e, com isso, deveria ter sido acrescido 40% do tempo trabalhado para a contagem de fins de aposentadoria, ou seja, o servidor que trabalhou por 10 anos, na realidade, exerceu as funções por 14 anos.
 
A decisão do TJSP destaca: “diante do exposto, CONCEDO a segurança para determinar que a autoridade coatora conceda aos substituídos da impetrante a contagem do tempo de serviço de 40%, nos termos requeridos, consoante o disposto no art. 57 da Lei nº 8.213/91”.
 
Vale ressaltar que o Supremo Tribunal Federal (STF) já decidiu favoravelmente e garantiu o mesmo direito aos agentes penitenciários de Rondônia filiados ao sindicato daquele estado. Tal decisão transitou em julgado e não cabem mais recursos.
 
No caso do Sindasp-SP, apesar da decisão ser de primeiro grau, o próprio texto da juíza de Direito, Luiza Barros Rozas, destaca a manifestação das Cortes Superiores: “Com efeito, embora ausente lei específica direcionada aos servidores públicos civis, a jurisprudência das Cortes Superiores já se sedimentou no sentido da aplicabilidade da legislação federal ao regime geral aos servidores públicos enquanto não editada lei complementar”, descreve o texto da decisão judicial.
 
O presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, lembra que essa é mais uma vitória do sindicato para seus filiados e que o Sindasp-SP é pioneiro na ação no Estado. “Quero ressaltar que essa ação coletiva que garante o direito de aposentadoria aos 25 anos de atividade é restrita aos filiados do Sindasp-SP, que automaticamente já estão inclusos na lista que será anexada ao documento que será entregue à Justiça. Os filiados não precisam fazer qualquer solicitação”, disse Grandolfo.
 
Para fazer parte da ação: como já destacamos, o direito de aposentadoria aos 25 anos foi concedido restritamente aos filiados do Sindasp-SP, que automaticamente já estão inclusos na lista que será entregue à Justiça. No entanto, até a Justiça solicite a lista contendo os nomes dos filiados, o que pode ocorrer a qualquer momento, o Sindasp-SP abre a possibilidade de que novos filiados também façam parte da ação. Os servidores que se filiarem ao Sindasp-SP terão os nomes anexados na lista e a possibilidade de se aposentarem aos 25 anos de atividade. Isso com exclusividade do Sindasp-SP.

Polícia apresenta suspeito de matar radialista

Por Tribuna
Jovem de 18 anos seria mandante do crime
Atualizada às 18h32
Um jovem de 18 anos, suspeito de ser um dos mandantes do homicídio do radialista Joelson Jaime Laureano, o Joe, 49 anos, foi apresentado pela 6ª Delegacia de Polícia Civil na manhã desta terça-feira (30), após ser capturado por meio de mandado de prisão em uma abordagem realizada pela Polícia Militar. A manobra aconteceu na tarde de segunda-feira, na Avenida Brasil, na altura do Bairro Costa Carvalho, Zona Sudeste. Além dele, outro rapaz da mesma idade é procurado pela polícia por envolvimento no brutal assassinato, ocorrido há um ano na estrada vicinal que liga Juiz de Fora a Chácara. Segundo o delegado Carlos Eduardo Rodrigues, a dupla liderava a chamada "Gangue dos Malvadinhos", que atuava no Jardim Esperança, mesma região onde aconteceu o crime. O grupo foi desmantelado pela 6ª Delegacia, no ano passado, após uma série de delitos, como tráfico, assassinatos e tentativas de homicídio.
Conforme as investigações, o jovem que está foragido teria levado Joe até uma estrada erma e espancado o radialista até ele desfalecer. Em seguida, a vítima foi atropelado com seu próprio carro, um Gol prata. A participação exata de cada um dos suspeitos ainda está sendo apurada, mas a polícia já tem indícios da motivação do homicídio. "O laudo toxicológico da vítima deu positivo para a presença de cocaína e maconha. O radialista teria ido até o Jardim Esperança para adquirir drogas e, no local, teria ocorrido uma desavença entre eles", informou o delegado. De acordo com ele, ambos os suspeitos eram menores de idade na época do crime. "Eles vão responder pelo homicídio na Vara da Infância e da Juventude e podem receber medida socioeducativa de acautelamento por até três anos. No entanto, contra eles havia mandados de prisão por outros crimes cometidos quando já tinham 18 anos." Diante disso, segundo Carlos Eduardo, o rapaz capturado foi encaminhado ao Ceresp, onde está à disposição da Justiça.
Ao ser questionado pelos policiais, o jovem preso atribuiu a execução de Joe ao rapaz que está foragido, mas relatou detalhes da morte, incluindo o atropelamento. O suspeito também disse ter ficado surpreso ao saber pela imprensa que a pessoa morta era um radialista conhecido na cidade. Na 6ª Delegacia há 12 investigações relacionadas a crimes que teriam sido praticados pelo bando do Jardim Esperança. Inclusive, a dupla suspeita do assassinato teria envolvimento em vários deles. "A informação de que o homicídio teria sido praticado por integrantes  da "Gangue dos Malvadinhos" surgiu com as prisões efetuadas no fim do ano passado. Mas não havia comprovação. Agora, um deles confessou, jogando a culpa no outro", disse o delegado. "Desde a última operação, há dois meses, tivemos informações de que o jovem foragido estaria trabalhando em uma obra no Rio de Janeiro. Quem souber do paradeiro dele pode denunciar pelo número 181 (Disque-Denúncia Unificado)", solicitou o policial.

Estrada vicinal
O corpo do radialista foi localizado na manhã do dia 23 de abril do ano passado na estrada vicinal que liga Juiz de Fora a Chácara, a poucos metros do entroncamento com a BR-267, na altura do km 82, próximo ao Floresta, Zona Sudeste. O cadáver estava às margens da pista, em meio ao matagal, com lesão grave na cabeça e ferimentos típicos de arrastamento no tórax e abdômen. O carro da vítima foi encontrado na noite do mesmo dia, abandonado na estrada de uma fazenda no mesmo bairro.

SAIU O EDITAL AGEPEN FEDERAL


Terça-feira, 30 de abril de 2013
Departamento Penitenciário Nacional abre vagas de Nível Médio e Superior
Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) torna pública a realização concurso público para provimento das seguintes vagas nos cargos de Nível Superior e Médio, do Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça:
  • Nível Superior: Especialista em Assistência Penitenciária - Clínica Geral (4), Especialista em Assistência Penitenciária - Enfermagem (6), Especialista em Assistência Penitenciária - Farmácia (1), Especialista em Assistência Penitenciária - Odontologia (4), Especialista em Assistência Penitenciária - Pedagogia (3), Especialista em Assistência Penitenciária - Psicologia (5), Especialista em Assistência Penitenciária - Psiquiatria (4), Especialista em Assistência Penitenciária - Serviço Social (6), Especialista em Assistência Penitenciária - Terapia Ocupacional (1);
  • Nível Médio: Agente Penitenciário Federal (100), Técnico de Apoio à Assistência Penitenciária - Técnico em Enfermagem (4).
O concurso público será executado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB).
Os candidatos serão lotados em uma das quatro penitenciárias federais localizadas nas cidades de Catanduvas-PR, Campo Grande-MS, Mossoró-RN e Porto Velho-RO, de acordo com o interesse e necessidade da Administração.
Das Inscrições:
Será admitida a inscrição somente via internet, no endereço eletrônicowww.cespe.unb.br/concursos/depen_13, solicitada no período entre 10h do dia 10 de maio de 2013 e 23h59min do dia 3 de junho de 2013, observado o horário oficial de Brasília-DF.
A taxa de inscrição para os cargos de Especialista em Assistência Penitenciária - todas as áreas será de R$ 90,00, para os cargos de Agente Penitenciário Federal será de R$ 85,00 e para o cargo de Técnico de Apoio à Assistência Penitenciária será de R$ 70,00.
O candidato poderá efetuar o pagamento da taxa de inscrição por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança).
A seleção compreenderá as seguintes etapas:
  • Prova Objetiva Conhecimentos Básicos de caráter eliminatório e classificatório
  • Prova Objetiva Conhecimentos Específicos de caráter eliminatório
  • Prova Discursiva de caráter eliminatório
  • Exame de Aptidão Física de caráter eliminatório (apenas para Agente Penitenciário Federal)
  • Avaliação médica de caráter eliminatório
  • Avaliação psicológica de caráter eliminatório
  • Investigação social de caráter eliminatório
  • Curso de Formação Profissional de caráter eliminatório e classificatório
A primeira fase do concurso e a perícia médica dos candidatos que se declararem com deficiência serão realizadas nas capitais das 26 unidades da Federação e no Distrito Federal.
A segunda fase do concurso (Curso de Formação Profissional) será realizada em Brasília-DF.
As provas objetivas e a prova discursiva terão a duração de 4h30min e serão aplicadas na data provável de 4 de agosto de 2013, no turno da tarde.
Na data provável de 24 de julho de 2013, será publicado no Diário Oficial da União edital que informará a disponibilização da consulta aos locais e aos horários de realização das provas.
O candidato deverá, obrigatoriamente, acessar o endereço eletrônico para verificar o seu local de provas, por meio de busca individual, devendo, para tanto, informar os dados solicitados.
O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização das provas com antecedência mínima de uma hora do horário fixado para seu início, munido somente de caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, do comprovante de inscrição ou do comprovante de pagamento da taxa de inscrição e do documento de identidade original. Não será permitido o uso de lápis, lapiseira/grafite, marca texto e/ou borracha durante a realização das provas.
O candidato poderá obter informações referentes ao concurso público na Central de Atendimento do CESPE/UnB, localizada na Universidade de Brasília (UnB) - Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do CESPE/UnB - Asa Norte, Brasília/DF, por meio do telefone (61) 3448-0100, ou via internet e por meio do endereço eletrônico sac@cespe.unb.br.
O prazo de validade do concurso esgotar-se-á após um ano, contado a partir da data de publicação da homologação do resultado final da primeira turma do Curso de Formação Profissional, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período.

Dois detentos morrem durante fuga da penitenciária de Francisco Sá

Tentativa de fuga aconteceu após consulta médica em hospital.
Durante troca de tiros, dois agentes e um detento ficaram feridos.

Valdivan Veloso Do G1 Grande Minas
Detentos tentaram fugir, mas foram abordados pelo helicóptero da PM. (Foto: Valdivan Veloso / G1)Detentos tentaram fugir, mas foram abordados pelo helicóptero da PM. (Foto: Valdivan Veloso / G1)
Dois presos morreram e em uma tentativa de fuga da penitenciária de segurança máxima em Franciso Sá, Norte de Minas Gerais, nesta segunda-feira (29).

Quatro detentos estariam passando mal e foram levados para um hospital da cidade. Após o atendimento, a viatura do sistema prisional em que estavam foi interceptada na porta do hospital por quatro homens em uma caminhonete. Houve troca de tiros e dois agentes e um detento ficaram feridos.
Dois dos quatro presos conseguiram entrar no veículo e fugiram. Durante a fuga, os detentos entraram em um veículo de passeio para despistar a polícia.
O helicóptero da Polícia Militar foi acionado e localizou os suspeitos em uma estrada de terra. “Demos a ordem de parada que não foi obedecida. Durante a abordagem, os detentos desceram atirando com um fuzil AK-47, que atingiu a hélice do helicóptero. Nós revidamos e eles foram alvejados. Outros dois fugiram para o mato. A polícia continua no rastreamento”, afirma o capitão da PM Leonardo Simão.
Os detentos mortos na troca de tiros foram: Gérson Alves de Freitas e Adeoni Vieira da Silva, ambos de 33 anos. Esta era a segunda vez que Gérson tenta fugir da prisão. A primeira tentativa foi no presídio Nelson Hungria, em Belo Horizonte. Ele era apontado como o líder do tráfico de drogas no Triangulo Mineiro e em Goiás.
Caminhonete capotou a cerca de sete quilômetros de onde os detentos foram baleados. (Foto: Valdivan Veloso / G1) 
 
Caminhonete capotou há cerca de sete quilômetros
de onde os detentos foram baleados.
(Foto: Valdivan Veloso / G1)

Na mesma estrada, há cerca de sete quilômetros de onde houve a troca de tiros, a caminhonete capotou e os ocupantes conseguiram fugir. A PM encontrou grande quantidade de munição e alimentos dentro dos veículos. “Foi identificado que existe toda estrutura para se eles precisassem permanecer durante dias teriam estrutura para isso”, afirma o coronel César Ricardo Guimarães.
Não foram divulgados os nomes do agente ferido e do outro detento atingido na troca de tiros.

Segundo a PM, dois suspeitos de participarem na ação foram presos ainda na tarde desta segunda-feiraa. Foram apreendidas ainda uma pistola calibre 380, uma pistola calibre 938, uma submetralhadora nove milimetros com dois carregadores, um fuzil AK-47, uma espingarda Riot Gun, uma carabina puma, uma carabina Winchester calibre 44,  um rádio HT, dois telefones celulares, a caminhonete e o carro usados na fulga.

  •  
grande quantidade de armas e munições foram apreendidas nos veículos. (Foto: Valdivan Veloso / G1)Grande quantidade de armas e munições foram apreendidas nos veículos. (Foto: Valdivan Veloso / G1)

segunda-feira, 29 de abril de 2013

INJUSTIÇA! ATO ARBITRÁRIO CONTRA AGENTES PENITENCIÁRIOS DO PRMOC/MG

O presidente da Associação dos Agentes Prisionais e Socioeducativo do Norte de Minas Alexandre Guerreiro foi surpreendido após saída do trabalho com a notícia de transferência para a Penitenciária de Francisco por 90 dias junto com os Agentes Uarlei Santos e Alan Marques. 
Ainda não se sabe os motivos, todavia esses Agentes estarão tranquilos e acatarão a medida para fins de lisuras ao ATO DISCRICIONÁRIO CAUTELAR (SEM DIREITO A AMPLA DEFESA) para que o DIRETOR DO PRESÍDIO e a COMISSÃO DISCIPLINAR APURE OS FATOS.
Fato que não calará o PRESIDENTE DA AASPESEN-MG na defesa dos ASSOCIADOS vítimas de ASSÉDIO MORAL.

FOI REGISTRADO UM B.O REDS-2013008906527001 CONTRA A ATITUDE DE SERVIDORES DA SUAPI CONTRA OS SERVIDORES SUPRAMENCIONADOS PARA FINS DE PROVIDÊNCIAS.




"Justiça tarda, mas não falha",

 

FORÇA GUERREIROS ESTAMOS JUNTOS, PESSOAS INTEGRAS E HONESTAS TEM O NOSSO RESPEITO! 

fonte: http://www.aspenorte.com.br/

Ação de resgate no Norte de Minas termina em fuga e morte

Bandidos aproveitaram momento em que quatro detentos eram levados para uma consulta médica em Francisco Sá. Carro do sistema prisional foi fuzilado

Thaíne Belissa
Luiz Ribeiro
 
Publicação: 29/04/2013 12:20 Atualização: 29/04/2013 12:43

Dois detentos da Penitenciária de Segurança Máxima de Francisco Sá, no Norte de Minas, conseguiram fugir durante uma ação resgate, na manhã desta segunda-feira. Segundo a Polícia Militar, a ação ocorreu no momento em quatro presos eram levados para consulta médica em Francisco Sá. Um detento e um agente penitenciário foram baleados, dois bandidos envolvidos no resgate morreram e dois presos fugiram.

De acordo com a PM, os detentos eram transportados no carro do sistema prisional, quando o veículo foi interceptado próximo à BR-251 por um carro com os bandidos que tentavam o resgate. Os homens desceram e fuzilaram o veículo da penitenciária, momento em que se iniciou o confronto. Houve troca de tiros e perseguição, deixando feridos um agente penitenciário e um dos detentos que eram transportados. Eles foram socorridos e levados para o Hospital de Francisco Sá. Dois homens que faziam o resgate também foram baleados e morreram.

Durante a ação, dois dos detentos conseguiram fugir e um último ficou sob a custódia de outros agentes penitenciáriários que não se feriram na ação. Nesta manhã, a polícia faz buscas no local com a ajuda de um helicóptero para encontrar os dois presidiários e outros possíveis envolvidos na ação de resgate. 


Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/04/29/interna_gerais,378959/acao-de-resgate-em-penitenciaria-no-norte-de-minas-termina-em-fuga-e-morte.shtml

Secretários do Meio Ambiente do RS são afastados após operação da PF

Carlos Fernando Niedersberg e Luiz Fernando Zachia são suspeitos.
Pelo menos 18 pessoas foram presas em nove cidades do RS e de SC.

Do G1 RS

Polícia Federal faz operação contra licenças ambientais ilegais (Foto: Ronaldo Bernardi/Agência RBS )Polícia Federal faz operação contra licenças ambientais ilegais (Foto: Ronaldo Bernardi/Agência RBS )

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, determinou nesta segunda-feira (29) o afastamento do secretário do Meio Ambiente, Carlos Fernando Niedersberg, por suspeita de envolvimento em um esquema de concessão ilegal de licenças ambientais. Em viagem a Israel, Tarso disse ter sido informado pela Polícia Federal sobre a prisão de Niedersberg ainda durante a madrugada.
Em entrevista coletiva, a PF não confirmou os nomes nem detalhes da investigação, que corre em segredo de Justiça. A operação envolveu 150 policiais e cumpriu mandados de apreensão nas secretarias de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul e de Porto Alegre, na Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e no Departamento Nacional de Produção Mineral. A investigação começou em junho de 2012.

Na entrevista, o superintendente da Polícia Federal no Rio Grande do Sul, Sandro Luciano Caron de Moraes, confirmou a prisão de 18 pessoas no estado e em Santa Catarina por corrupção, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e crime ambiental. Segundo ele, não existia uma quadrilha única responsável pelo esquema, mas grupos espalhados envolvidos.
Apesar de não confirmar os nomes dos presos, Caron afirmou que o órgão entrou em contato com o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e com prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, apenas depois de os mandados terem sido cumpridos.
O governador Tarso Genro citou o nome de Niedersberg. "Fui informado de que foi feita a prisão do secretário do Meio Ambiente, e a razão seria o recebimento de recursos ilegais para a liberação de licenças ambientais", disse o governador em entrevista à Rádio Gaúcha.
"Temos de levar em consideração que é uma ação séria da polícia, envolve um conjunto de quadro do estado, que estiveram e estão no governo, e determinamos imediato afastamento de qualquer pessoa que seja do nosso governo", acrescentou.
O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, também anunciou o afastamento do secretário Luiz Fernando Zachia. Em entrevista à Rádio Gaúcha, Fortunati disse ter sido informado sobre a prisão do secretário municipal do Meio Ambiente pela Polícia Federal.
"O único nome que tanto o superintendente da PF, Sandro Luciano Caron de Moraes, quanto o ministro da Justiça citaram, porque diz respeito à administração de Porto Alegre, é o do secretário Luiz Fernando Zachia.
A prefeitura ainda divulgou uma nota oficial sobre a investigação. "Tendo em vista as informações sobre o envolvimento dos servidores municipais na operação sobre licenciamentos deflagrada pela Polícia Federal (PF), na manhã desta segunda-feira, o prefeito José Fortunati determinou o afastamento de todos as pessoas apontadas na investigação, que ocupem cargos no serviço público municipal, até o fim do trabalho da PF", afirma a nota.
Esquema liberava licenças mediante pagamento
Coletiva da Polícia Federal em Porto Alegre nesta segunda-feira (29) (Foto: Ivani Schutz/RBSTV) 
Coletiva da Polícia Federal em Porto Alegre
nesta segunda-feira (29) (Foto: Ivani Schutz/RBSTV)

De acordo com o delegado Thiago Machado, foi observado que algumas licenças só seriam obtidas se houvesse pagamento em quantia em dinheiro. “Quando o empresário contava com alguém de dentro do órgão, o prazo para obtenção era bastante curto, chegando a ser feito em apenas uma tarde. Além disso, a própria licença deixava de observar requisitos legais”, afirma.
O delegado ainda afirmou que 30 a 40 processos estão sendo analisados por perícia técnica no Departamento Nacional de Produção Mineral e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam).
Segundo a PF, os suspeitos de integrar o grupo são servidores públicos, consultores ambientais e empresários, que atuam em órgãos  públicos. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre, Taquara, Canoas, Pelotas, Caxias do Sul, Caçapava do Sul, Santa Cruz do Sul, São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul, e em Florianópolis, em Santa Catarina.

domingo, 28 de abril de 2013

A ASSOCIAÇÃO DOS AGENTES PRISIONAIS E SOCIOEDUCATIVO DO NORTE DE MINAS GERAIS INTERAGE ATRAVÉS DE INTERCÂMBIO COM A FUTURA ASSOCIAÇÃO DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DA BAHIA

 Bandeira do estado da Bahia  Bandeira do estado deMinas Gerais
 
O sistema prisional  do estado da Bahia é  considerado pela categoria de AGENTE PENITENCIÁRIOS do estado baiano  uma das  piores do Brasil. Pelo contraste e carência em infraestrutura de material, humano, bélico e físico; diante desse cenário os Agentes Penitenciários Baianos estão buscando o intercâmbio junto a AASPESEN-MG. Em linhas gerais, o presidente da entidade ALEXANDRE GUERREIRO que é Agente Penitenciário de Estado de Minas Gerais aceitou o convite de integrar e participar da criação da ASSOCIAÇÃO DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DO ESTADO DA BAHIA QUE SERÁ SEDIADA EM SALVADOR, (ainda com data a ser marcada). Num bate papo com o Agente Pedro Ribeiro BA o Agente Alexandre colocou-se a disposição dos companheiros do sistema prisional baiano e abordou junto ao Agente Pedro a importância da CRIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DO BRASIL, OU SEJA, UMA ASSOCIAÇÃO NACIONAL SEDIADA EM BRASÍLIA.


              ASP/BA PEDRO RIBEIRO           ASP/MG ALEXANDRE GUERREIRO   
         Alexandre Guerreiro Moc

POINT DA NOVA GERAÇÃO DE GUARDAS O BAR AMARELINHO (DO PRADO)

É só descer o batalhão da pm, sentido contorno, a Francisco Sá é paralela à Contorno.
Apos chegar na Francisco Sá, você anda uns 04 quarteirões, e está lá.
Endereço
AV. FRANCISCO SÁ, 658, PRADO, BELO HORIZONTE

--------------------------------------
HOJE DOMINGO DIA 28/04/2013, de 11:30 da manhã até umas 15 horas.
FOTOS DOS CANDIDATOS AO CARGO DE AGENTE PENITENCIÁRIO 2012:
 
 

sábado, 27 de abril de 2013

BOA SORTE AOS CANDIDATOS AO CONCURSO DE AGENTE PENITENCIÁRIO DE MG 2012

 DESEJO UMA BOA SORTE AOS CANDIDATOS AO CARGO DE AGENTE PENITENCIÁRIO DE MINAS GERAIS, QUE IRÃO REALIZAR O EXAME PSICOTÉCNICO EM BELO HORINZOTE, EM BREVE ESTAREMOS JUNTOS!


ATT. FÁBIO CARLOS
BLOG DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DE JUIZ DE FORA

Extrato de Portaria/CORREGEDORIA/SUAPI/SA nº 017/2013 Sindicância Administrativa PRESÍDIO REGIONAL DE MONTES CLAROS

FOTOS G1.COM

24 411776 - 1

Extrato de Portaria/CORREGEDORIA/SUAPI/SA nº 017/2013

Sindicância Administrativa

Fato: Apurar possíveis irregularidades ocorridas no âmbito do Presídio
Regional de Montes Claros, unidade prisional vinculada à Subsecretaria
de Administração Prisional/SUAPI/SEDS, comunicadas pelo
Ministério Público da Comarca de Montes Claros.
Comissão Sindicante: Presidente: Allan Diógenes Bastos Fantini.
Membros: Maxwell Harrison Pereira Silva e Elves Fabiano Gomes
de Almeida.
Belo Horizonte, 25 de abril de 2013.
Solange Irene Henrique de Melo

CORREGEDORA DA SEDS

FONTE: http://jornal.iof.mg.gov.br/xmlui/handle/123456789/91509?paginaCorrente=001&posicaoPagCorrente=91493&linkBase=http%3A%2F%2Fjornal.iof.mg.gov.br%3A80%2Fxmlui%2Fhandle%2F123456789%2F&totalPaginas=112&paginaDestino=17&indice=0

Desvio de verba sob investigação na PCMG em JF

Corregedoria da Polícia Civil apura envolvimento de agentes e de donos de postos no esquema

Por Daniela Arbex


Policiais civis e donos de postos de combustível da cidade estão na mira da Corregedoria da Polícia Civil. Eles estão sendo investigados em inquérito criminal pelo desvio de verba de gasolina usada para o abastecimento de viaturas da corporação. O esquema, descoberto há cerca de um ano, levou alguns agentes públicos a perderem função de confiança, embora ainda continuem atuando na polícia. A Tribuna descobriu que postos vencedores de licitação para a prestação do serviço emitiram notas fiscais cheias, atestando o valor máximo estabelecido pelo Estado para a cota de combustível, hoje de R$ 23 mil mensais. No entanto, com determinação de uso limitado de gasolina para os agentes - há informações extraoficiais de que havia ordem para o racionamento de 15 litros por viatura a cada abastecimento -, o valor utilizado era sempre inferior ao teto. A "sobra", que variava entre R$ 1 mil e R$ 10 mil mensais, era devolvida pelos comerciantes, há vários anos, aos policiais que estão sob investigação. A suspeita é de que pelo menos R$ 200 mil tenham sido desviados só nos últimos tempos.
A fraude veio à tona no final de maio do ano passado, quando o novo delegado regional, Paulo Sérgio Virtuoso, recebeu, do Setor de pagamento e despesa da polícia, cerca de R$ 1.100 em espécie. Surpreso, Virtuoso questionou a origem do dinheiro e obteve como resposta que o recurso era referente à "prestação de contas do combustível do mês". O dinheiro e a nota fiscal foram, então, repassados por ele ao responsável pelo 4ª Departamento de Polícia Civil e, posteriormente, a Belo Horizonte para conhecimento da corporação. Auditoria realizada nos cupons fiscais dos postos de combustíveis da cidade comprovou que a quantidade de gasolina registrada era inferior ao declarado nas notas fiscais que seguiam para o Estado, a fim de que o valor declarado fosse empenhado.
Diante da situação, a Corregedoria de Polícia Civil instaurou inquérito criminal que levanta a participação de delegados e de outros servidores no negócio. O corregedor Antônio Gama, que está à frente da investigação, disse que o inquérito está em fase final de instrução e que os passos seguintes serão a elaboração do relatório das investigações e encaminhamento dos autos à Justiça de Juiz de Fora para apreciação do Ministério Público. "Foram feitas várias diligências. Pretendo concluir o trabalho o quanto antes", declarou, esta semana, em Belo Horizonte. Após a conclusão desse procedimento, os fatos deverão ser apreciados, ainda, na seara disciplinar, cujas normas preveem desde uma simples suspensão até a demissão dos quadros da polícia.
O atual delegado regional prefere não comentar o andamento das investigações, mas adianta: "Hoje, mesmo com o abastecimento livre de combustível, nós não conseguimos gastar os R$ 23 mil mensais previstos. Sobra em média R$ 7 mil ao mês", afirmou Virtuoso.


Combustível é única despesa gerenciada por delegacias

Uma das principais críticas feitas por policiais civis é justamente o sucateamento da estrutura de trabalho. Além de o problema com a falta de pessoal, realidade que vem sendo denunciada pela Tribuna, as delegacias regionais não contam com um orçamento próprio para despesas básicas e, até o papel de escritório utilizado, vem de Belo Horizonte, mensalmente, através de um Almoxarifado Central responsável pela compra e distribuição do material de manutenção das unidades administrativas e policiais. A compra de combustíveis é a única despesa gerenciada diretamente pelas delegacias no interior.
Policiais que preferem ter o nome mantido em sigilo argumentaram que o dinheiro de gasolina desviado não ficava para os envolvidos, mas era usado com despesas da própria regional. "É super normal o que os delegados que estão sob investigação fizeram. Sem dinheiro do Estado para gerir as necessidades da delegacia, o jeito é improvisar. Eles usavam o dinheiro que sobrava da gasolina com a própria delegacia. Todo mundo faz isso para conseguir dar conta das demandas diárias de uma regional ", afirmou um delegado. Outro desabafou: "Temos que recorrer, muitas vezes, a doação até de cartuchos de impressora. Estoura um cano dentro da delegacia, de madrugada. Como arranjar dinheiro para o conserto imediato? O fato é que, muitas vezes, precisamos contar com a boa vontade de terceiros e ficar com o pires na mão."
O diretor regional do Sindicato dos Servidores de Polícia Civil (Sindpol), Marcelo Armstrong, afirma que cabe à polícia dar o exemplo. "A sociedade não admite mais esses improvisos. O desvio da verba de combustível para outras funções, sejam lá quais forem, não pode ser visto como algo natural. Pelo contrário. É algo muito grave e exige que seja tratado com rigor, pois o servidor público, como qualquer outro cidadão, tem que agir dentro da moralidade e das leis."


Especialista critica troca de favores

O delegado regional Paulo Sérgio Virtuoso sustenta que "existem meios legais de suprir a eventual falta de recursos por intermédio de convênios e parcerias". Ele cita, por exemplo, a parceria feita com a Astransp para o conserto emergencial de viaturas. "Neste momento, no entanto, o Estado está realizando licitação para o credenciamento de oficinas em todos os municípios mineiros onda haja regionais, o que agilizará os consertos. Hoje as manutenções exigem abertura de licitação, processo que demora de dois a três meses. Mas está havendo uma profissionalização da gestão na tentativa de otimização."
A realização de parcerias entre a Polícia Civil e a iniciativa privada pode tornar a instituição ainda mais vulnerável. Para o professor de política da UFJF Marcelo Dulci, quando essa parceria acontece para suprir demandas de funcionamento das delegacias e não para aprimoramento do ofício, há riscos. "O Estado tem que garantir condições mínimas para a realização da atividade policial, a fim de que os policiais possam cumprir suas obrigações legais e constitucionais. Quando se recorre a favores, corre-se o risco de inverter funções. Claro que os convênios são bem-vindos quando o interesse é o aperfeiçoamento do trabalho. Mas o que a polícia não pode é sobreviver de favores da iniciativa privada, pois, como órgão de defesa social do Estado, ela tem que ter sua autonomia e independência financeira. Deixar a polícia com o pires na mão enfraquece a própria instituição", comentou.
Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais afirmou que existe previsão, para este ano, de investimentos na ordem de R$ 140 milhões. Segundo informações da assessoria de imprensa do órgão, os recursos servirão, entre outras coisas, para construção de três postos de perícias integradas (PPI) em Juiz de Fora, Uberlândia e Uberaba. Existe, ainda, a promessa de ampliação e reforma de 40 delegacias e aquisição de 182 viaturas.

PM realiza blitz na Avenida Presidente Costa e Silva

Por Tribuna
Situação criminal dos condutores foi verificada
O Pelotão de Trânsito da Polícia Militar (PPTran), com apoio da Settra, realizou no fim da tarde desta seta-feira (26) uma blitz na Avenida Presidente Costa e Silva, no Bairro São Pedro, Cidade Alta. O objetivo foi identificar veículos com documentação vencida, além da situação criminal dos condutores. A equipe utilizou etilômetros em motoristas com suspeita de ter associado álcool e direção veicular.
Ao todo, 12 autuações foram lavradas durante a operação, que durou cerca de duas horas, mas nenhuma por desrespeito à lei seca. De acordo com o comandante do pelotão, tenente José Lourenço Pereira Júnior, a via foi escolhida para esta atividade devido às suas características. "É uma região com grande fluxo de veículos e concentração considerável de bares. Operações como essa ocorrem em toda a cidade e, de modo geral, temos resultados satisfatórios. Hoje identificamos condutores com a documentação dos carros vencida. Também presenciamos motoristas e passageiros sem o cinto de segurança e alguns realizando a conversão irregular na pista, na nossa frente."
Sobre a documentação exigida, o comandante ressaltou que, por enquanto, está sendo cobrado apenas a emitida em 2012.

Megaoperação na divisa de MG com RJ

Por Tribuna
Blitz ocorreu na 040 e contou com a participação de homens das polícias Civil, Militar e Rodoviária
A operação "Divisa Integrada" foi desencadeada na noite desta sexta-feira (26) com a participação de 209 homens das polícias Militar de Minas Gerais, Civil, Rodoviária Federal e auditores da Receita Estadual de Juiz de Fora, Ubá, Leopoldina e Muriaé, municípios que integram a 4ª Região de Polícia Militar (RPM). Também houve participação da PM do Estado do Rio de Janeiro. Eles atuaram em 19 pontos, sendo oito apenas no entorno de Juiz de Fora, com a concentração de ações de 70 homens nas BR-040, BR-267 e em estradas vicinais. O objetivo da megaoperação foi identificar armas, drogas, explosivos, veículos roubados e outros materiais ilícitos. Ao todo, 91 cidades mineiras tiveram manobras, por fazerem fronteira com o estado do Rio. Na BR-040, um ônibus com placa de Salvador (BA) foi vistoriado porque os passageiros traziam mercadorias de Petrópolis (RJ). No entanto, até as 22h desta sexta a blitz ainda estava sendo realizada.
Segundo a assessoria da Polícia Militar, na área do 2º Batalhão da PM, haviam sido apreendidas, até as 21h30, 14 unidades de explosivos industrializado utilizado em mineração (bananas de dinamite), 39 unidades de detonadores não eletrônicos e seis detonadores de explosivos. O material foi encontrado no município de São João Nepomuceno. Já na cidade de Goianá, duas armas de fogo foram recolhidas. A assessoria informou ainda que foram recolhidos outro revólver, munições diversas, rádio de comunicação e drogas arrecadadas nas demais unidades do 2º BPM.

Governo prepara pacote para tentar reduzir superlotação em presídios

Plano que deve ser lançado em maio prevê investimento e mudança em leis.
Segundo ministério, presídios têm 310,6 mil vagas e 548 mil presos.

Mariana Oliveira Do G1, em Brasília
Penitenciária Barreto Campelo - Arquidiocese de Recife e Olinda (Foto: Renata Gabriele) 
 
Penitenciária Barreto Campelo, em Recife (Foto:
Renata Gabriele/G1)
O governo federal deve lançar em maio um novo plano com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos detentos e estimular a adoção de penas alternativas, a fim de tentar reduzir a superlotação nos presídios.
O pacote vai prever investimentos na infraestrutura do sistema penitenciário nacional, melhorias de gestão e propostas de mudança na legislação.
A elaboração do plano foi encomendada pela presidente Dilma Rousseff, segundo informou ao G1 um membro do governo envolvido no trabalho, mas que preferiu não se identificar. Outro integrante da equipe que atua na elaboração do plano confirmou as informações.
Em relação à superlotação, a intenção é estimular – para crimes que envolvem menor grau de violência – a aplicação de penas que não levem necessariamente o autor para a prisão. Exemplos de penas como essas seriam a prestação de serviço comunitário, monitoramento do condenado por meio de tornozeleira eletrônica ou prisão domiciliar. No mês que vem, o STF discutirá em audiência pública se condenados podem ir para prisão domiciliar devido à falta de vagas no regime semiaberto.
Quanto à qualidade de vida do preso, algumas das medidas que o plano pretende implantar são instalação de unidades educacionais em presídios, melhoria do atendimento de saúde, controle do uso de drogas e capacitação profissional dos agentes e dos detentos.
A execução das medidas do pacote deverá ficar a cargo do Conselho Nacional de Justiça (CNJ),  do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Chamado de Acordo de Cooperação para Melhoria do Sistema Prisional e Redução do Déficit Prisional, também terá a adesão de Ministério da Justiça, Senado, Câmara, Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e Conselho Nacional dos Defensores Públicos Gerais (Condege).
Segundo o Ministério da Justiça, o acordo é uma nova fase do Plano Nacional de Apoio ao Sistema Prisional, lançado em 2011 com o objetivo de criar 42 mil vagas em presídios até 2014. Essa nova fase marcará a inclusão do Judiciário nas ações, uma vez que os ministérios já atuavam em parceria para a melhoria do sistema prisional.
O plano começou a ser debatido no segundo semestre de 2012 e já estava em discussão quando o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que "preferia morrer" a ficar preso no Brasil.
Dados do Sistema de Informações Penitenciárias (Infopen) do Ministério da Justiça, atualizados em dezembro do ano passado, mostram que a população carcerária no país é de 548 mil pessoas. No entanto, os estabelecimentos penais dispõem de 310,6 mil vagas (déficit é de 237,4 mil vagas).

Diretrizes
O novo plano do governo federal prevê três eixos de atuação: mudanças no sistema do Judiciário, modernização do sistema prisional e melhoria da qualidade de vida dos detentos.
548 mil pessoas cumprem penas em presídios brasileiros, mas só há vagas para 310,6 mil – o déficit é de 237,4 mil vagas
Na área da Justiça, o objetivo é reduzir o déficit de vagas com a adoção de penas alternativas e medidas cautelares, além da diminuição da duração de processos.
Além disso, o governo quer modernizar a gestão dos presídios por meio do Depen e integrar dados penitenciários com um Cadastro Nacional de Presos. Há ainda previsão de melhoria na capacitação dos servidores do sistema penitenciário.
O acordo também fará com que a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República coordene políticas para que os presos tenham acesso a educação e saúde. Está prevista a construção e ampliação de espaços educacionais nos presídios, mas não há informações sobre valores de investimentos e nem de onde os recursos sairão.
Há previsão de estímulo à remissão de pena pelo estudo e capacitação profissional de presos, além de uma pesquisa sobre consumo de drogas dentro das penitenciárias.
Para cumprir as metas, o governo pretende usar projetos já em andamento no Congresso, além de enviar novas propostas ao Legislativo a fim de atender aos objetivos do plano.
A finalidade de se propor um acordo entre todos os poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), que está em fase final de elaboração, é facilitar a aprovação e a execução das propostas do plano.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

DIRETOR GERAL DO CERESP/JF RECEBE MEDALHA EXCEPCIONAL DA CÂMARA MUNICIPAL

GIOVANE DE MORAES GOMES

 Giovane de Moraes Gomes é Diretor Geral do Centro de Remanejamento do sistema prisional de juiz de Fora (CERESP/JF) desde 2007. O convite para o cargo veio após realizar várias inspeções e intervenções em unidades Prisionais do Estado.
 Desde que assumiu o Centro. Giovane acredita que grandes transformações ocorrerram no sistema, refletindo em uma nova realidade no que se refere à dignidade e respeito daqueles que estão em privação de liberdade. Sua administração prima por resgatar a autoconfiança dos Agentes Penitenciários e demais funcionários administrativos.
 Desenvolveu junto à sociedade um mutirão para construir novas celas no CERESP, aumentando a capacidade em 30%, demonstrando seu espírito humanista e empreendedor.
 Nascido em Belo Horizonte, iniciou a carreira profissional em 1992 quando ingressou no Sistema Prisional como Agente de Segurança Penitenciário.
 Ingressou em 2005 no grupo responsável por atuar em rebeliões e realizar escoltas estaduais e interestaduais de presos de alto grau de periculosidade. Ainda como integrante do COPE foi convidado para integrar a equipe de Avaliação de Desempenho de Agentes Penitenciários Efetivos do Estado de Minas Gerais, além de participar diretamente das assunções das cadeias públicas do Estado de Minas Gerais.

 Fonte: Câmara Municipal de Juiz de Fora

6ºD.D PASSA O RODO EM DELIVERY DE DROGAS EM JF

Esquema de entrega de cocaína a domicílio atendia usuários das classes média e alta da cidade

Por Sandra Zanella
Ação resultou na prisão de dois homens, na apreensão de 115 papelotes de cocaína e de dinheiro
Mais um esquema de disque-drogas voltado para classes média e alta da cidade foi desmontado pela 6ª Delegacia de Polícia Civil na noite de quarta-feira (24). A ação resultou na prisão de dois homens, de 26 e 29 anos, e na apreensão de 115 papelotes de cocaína prontos para a venda a varejo, além de R$ 55, três celulares e dois carros usados nas cerca de 30 entregas diárias. A manobra teve início por volta das 21h, quando o suspeito mais novo foi abordado pelos policiais na Rua Antônio Marinho Saraiva, no Bairro Dom Bosco, Cidade Alta. Segundo o delegado responsável pela investigação, Carlos Eduardo Rodrigues, o homem estava em um Fiat Siena na companhia da esposa, 25, e de um filho, 3, à espera de um usuário. No veículo foram encontradas 15 porções fartas do entorpecente e, na casa dele, no Vale Verde, Zona Sul, foram recolhidas mais cem porções da droga.
Em seguida, os policiais realizaram buscas na residência do segundo suspeito, apontado como chefe do esquema de "delivery". Ele foi detido no imóvel no Bairro São Bernardo, Zona Sudeste, e teve um Ford Focus apreendido. Durante as investigações, iniciadas há um mês, os policiais levantaram que o homem realizava as entregas nos fins de semana, enquanto o comparsa faria o serviço nos demais dias sob o comando dele. Conforme Carlos Eduardo, o responsável pelo "negócio" já havia sido preso pelo mesmo crime há cerca de dois anos.
Para o delegado, o público alvo dos suspeitos seriam usuários de cocaína de classes média e alta, normalmente moradores das regiões central, Sul e Cidade Alta, já que eram cobrados R$ 20 por cada papelote e mais R$ 10 pelo serviço de entrega em domicílio. "Eles cobravam um preço maior pela droga e também uma taxa. O usuário que pode pagar e não quer ir a uma boca de fumo, com risco de ser pego pela polícia, é quem comprava." Ainda conforme Carlos Eduardo, além da qualidade da substância ser melhor, a porção farta justificava o preço. "Eles não levantavam suspeita, porque andavam em carros bons, e um dos presos estava até com a mulher e o filho. Não dava para desconfiar." De acordo com ele, por enquanto, não há indícios de participação da mulher no comércio dos entorpecentes.
Antes da prisão, os policiais já estavam monitorando o Fiat Siena, que teria passado por várias áreas da cidade, como Jardim Glória, Avenida Olegário Maciel e Parque Halfeld, na região central, e Aeroporto, na Cidade Alta. "Eles só entregavam para conhecidos ou pessoas que fossem indicadas", disse o titular. A dupla foi levada para a 6ª Delegacia, no Bairro de Lourdes, Zona Sudeste, onde foi autuada por tráfico de drogas e associação para o mesmo crime. Os homens foram encaminhados ao Ceresp. Em um ano e meio, a mesma equipe policial já prendeu 16 pessoas que atuavam em esquemas de disque-drogas na cidade.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

O PRMOC/MG já conhece o novo DIRETOR INTERINO o senhor Pedro Araújo Maia atual Diretor da Penitenciária de Segurança Máxima de Francisco Sá.

Nesta semana rolou várias especulações com a vinda do Subsecretário Prisional Dr.º Murilo de Andrade à Montes Claros. Na ocasião veiculou vários nomes para o comando do Presídio Regional, enfim, o nome  aprovado para construir o novo projeto de segurança prisional do PRMOC é o do Agente Pedro Maia, Agente Penitenciário de Carreira e Diretor da Penitenciária de Francisco Sá.
O Senhor Pedro tem a missão de buscar o brilho dos olhos dos Agentes Penitenciários do PRMOC, pois é um servidor idôneo, competente, educado e com um futuro brilhante, sendo de uma linha de diálogo e gabinete aberto para o “GUARDA”. Assim, acredito que a SUAPI acertou num nome que tem aceitação. Então, convocamos a todos os Agentes Penitenciários do Presídio Regional de Montes para abraçarmos juntos esse novo projeto idealizador, isto é, torna o PRMOC-MG o melhor presídio para trabalhar, ou seja, onde tudo funciona, não esquecendo da balança do DIREITO & DEVER, ficando equilibrada ganha o servidor e também o serviço público.
Portanto, em nome dos Agentes Penitenciários do Norte de Minas queremos parabenizar o novo COMANDO E EQUIPE DE TRANSIÇÃO e que assim podemos juntos construir um novo rumo para a política prisional NORTE MINEIRA.

ALEXANDRE GUERREIRO
PRESIDENTE DA AASPESEN-MG
 

Advogado engana policiais e foge com cliente que estava detido em Montes Claros



Estado de Minas
Publicação: 24/04/2013 09:06 Atualização: 24/04/2013 09:13
A polícia civil procura um advogado que ajudou seu cliente a fugir no momento em que a Polícia Rodoviária Federal registrava boletim de ocorrência por transporte irregular de carga, em Montes Claros, no Norte de Minas. O proprietário do caminhão de 41 anos já estava detido, quando seu advogado chegou ao local e enganou os policiais rodoviários, pedindo a chave do carro do cliente para pegar um celular. Os dois entraram no veículo e fugiram.

A confusão começou quando o motorista do caminhão viu que polícia realizava blitz na BR-251 e, sabendo da carga de carvão nativo irregular, abandonou o veículo no meio da pista e fugiu. Em seguida acionou o proprietário do caminhão e informou do ocorrido. Segundo a PRF, o proprietário se apresentou no local, onde foi solicitado que ele apresentasse os documentos fiscais e de licença ambiental. Dentro do caminhão, os policiais encontraram duas notas fiscais e duas guias de controle ambiental falsas.

O carro em que o homem estava foi apreendido e ele foi conduzido em viatura até um posto policial em Montes Claros, onde começou a ser feito o registro de boletim de ocorrência. Ainda segundo a PRF, em determinado momento o homem pediu aos policiais para acionar seu advogado, o que foi permitido. Ao chegar, o advogado pediu que os policiais liberassem a chave do carro do cliente, pois precisavam pegar um celular que estava dentro do veículo. Os dois caminharam até o carro e fugiram.

O inspetor Adilson Souza explica que os policiais optaram por não ir atrás dos dois, uma vez que os autores já estavam identificados e não havia necessidade de colocar a vida de outras pessoas em risco em uma perseguição. “Hoje não se pode algemar qualquer pessoa e o detido estava colaborando, não tinha com o que a polícia se preocupar naquele momento”, explica o inspetor.

O caminhão, a carga e as notas fiscais falsificadas foram apreendidos e estão à disposição do Ibama e da Polícia Civil. A carteira de habilitação do proprietário do caminhão e o cartão de visitas do advogado também estão com a polícia. Segundo a PRF, o fato será comunicado à OAB em Montes Claros.

fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/04/24/interna_gerais,376398/advogado-engana-policiais-e-foge-com-cliente-que-estava-detido-em-montes-claros.shtml#.UXfXlRMzIHU.facebook

Armas apreendidas podem ter sido desviadas

Por Tribuna
Materiais foram encontrados no Olavo Costa
A 6ª Delegacia de Polícia Civil apreendeu nesta terça-feira (23) armas que possivelmente foram desviadas de quartéis do Exército. Os artefatos foram encontrados em uma casa na Vila Olavo Costa, Zona Sudeste. De acordo com a Polícia Civil, foram apreendidos uma pistola 9 milímetros e um revólver calibre 38, ambos com a numeração raspada, além de munições dos dois calibre, uma balança digital e invólucros plásticos.
Após a apreensão, os policias se dirigiram até um supermercado na Cidade Alta, onde trabalhava o suspeito de ser proprietário dos materiais. O homem, 21 anos, foi preso em flagrante e teria confessado o crime, sendo encaminhado ao Ceresp. De acordo com o delegado titular, Carlos Eduardo Rodrigues, ele estaria guardando as peças a pedido de um criminoso da região Sudeste. " As armas irão passar por perícia metalográfica para tentar identificar a numeração original, a fim de saber a origem, mas as características são de armamentos que podem ter sido desviados de depósitos do Exército."
Desde que o desvio de armas, provenientes da Campanha do Desarmamento e da Justiça, foi descoberto em Juiz de Fora, todos os armamentos apreendidos em manobras policiais estão passando por perícia metalográfica. O objetivo é confrontar a numeração das peças com o número de registro das armas que deveriam ter sido destruídas pelo Exército. Segundo Carlos Eduardo, "em algumas armas que passaram pelo exame ficou confirmado que são de uso exclusivo das Forças Armadas."

EQUIPE CANIL DO CERESP/JF AJUDA POLÍCIA CIVIL EM MAIS UMA PRISÃO

Entre os quatro presos no Teixeiras, dois teriam ligação com o PCC de São Paulo

Por Renata Brum
Entre os presos, dois teriam ligação com o PCC
A Polícia Civil estourou nesta terça-feira (23) uma borracharia que funcionava como fachada para o tráfico de drogas, no Bairro Teixeiras, Zona Sul da cidade, após investigação de quase quatro meses. Quatro pessoas foram presas, entre elas o dono do estabelecimento, de 40 anos, apontado pela polícia como importante traficante na região Sul e na Cidade Alta. Um funcionário, 25, também foi detido. Durante a ação do Núcleo de Ações Operacionais (Naop), outros dois homens, 39 e 31, que seriam os fornecedores do entorpecente, foram flagrados perto do local, tentando contato pelo celular com o comerciante. Segundo a delegada titular do Naop, Sheila Oliveira, a dupla, do Mato Grosso do Sul e suspeita de ligação com a facção Primeiro Comando da Capital (PCC), seria responsável por trazer e negociar a droga com o dono da borracharia.
"Com ajuda dos cães farejadores do Ceresp, localizamos no endereço cerca de meio quilo de pasta base da cocaína, que seria apenas a amostra do que os fornecedores entregariam ao comerciante. Tivemos a informação de que os suspeitos estavam nas proximidades e conseguimos interceptá-los em uma padaria próxima. Pelos celulares apreendidos, vimos que eles estavam fazendo contato com o dono da borracharia. Os fornecedores são de Mato Grosso do Sul, mas estavam foragidos em São Paulo, e as investigações apontam para a ligação dos mesmos com o PCC", informou a delegada, acrescentando que um deles estava com mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas no Mato Grosso do Sul.
Os policiais conseguiram descobrir que a dupla se hospedava em uma pousada na região do Aeroporto. "A dona do local nos confirmou que eles já estiveram por outras vezes no estabelecimento", destacou Sheila. "Isso mostra que estavam constantemente na cidade para negociar a compra e venda de entorpecentes", completou.
Segundo Sheila, as investigações começaram depois que um outro funcionário da borracharia foi preso, em flagrante, com quase 3kg de cocaína, há cerca de dois meses. "Ele estaria guardando a droga para o patrão. Demos prosseguimento nos levantamentos e hoje (terça) realizamos a operação, pois sabíamos que haveria droga no estabelecimento. Na verdade, o comerciante mantém a borracharia apenas como fachada. Celulares e anotações recolhidas no local apontam para a ligação dele com outros traficantes da cidade. Ele já é conhecido da polícia e mora em uma casa de alto luxo." De acordo com a delegada, o comerciante e o funcionário foram autuados por tráfico e associação para o tráfico e os outros dois por associação. Os quatro foram para o Ceresp.

terça-feira, 23 de abril de 2013

CABO JULIO VISITA SECRETÁRIO DA SEDS E SOLICITA MUDANÇA NO PROGRAMA LARES GERAIS

Reunião contou com a presença de
policiais da PM e da PC moradores do conj.
Habitacional do bairro Betânia
A Secretaria de Defesa Social (SEDS) determinou por meio de ofício que os agentes de segurança do Estado de Minas, moradores dos apartamentos cedidos pelo programa LARES GERAIS, deixem o local até o dia 15 de dezembro de 2013. A determinação deixou policiais militares e policiais civis  inseridos no programa, preocupados. É o que garante o Sgt PM Frederico Alves Coelho, morador, há cinco anos, do conjunto habitacional do bairro Betânia, região Oeste de Belo Horizonte. "Saí da Pedreira Prado Lopes porque eu e minha família estávamos ameaçados, agora estamos em uma situação difícil e precisaríamos de mais tempo para decidirmos o que fazer", conta. Ele e mais 70 famílias de policiais estão na mesma situação. O escrivão de Polícia Civil lotado na DTE Eduardo Xavier Alvernaz, também ameaçado por bandidos, saiu da Cabana do Pai Tomaz, há cinco anos, e não sabe o que fazer. "Gostaríamos de uma oportunidade de comprar os apartamentos onde estamos morando", sugeriu o policial civil.
Para tentar resolver a situação dos militares residentes por meio do programa Lares Gerais, o Deputado CABO JÚLIO reuniu-se, segunda-feira (22/04), com o Secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, para expor a situação dos policiais civis, militares e agentes penitenciários residentes no conjunto habitacional. São 150 apartamentos disponíveis para os agentes da segurança pública do Estado que estavam em situação de risco, sendo que 80 deles estão vazios. O Deputado sugeriu que os apartamentos sejam vendidos aos policiais.
Rômulo Ferraz garantiu analisar a situação dos policiais e rever as regras legais. O objetivo é encontrar mecanismos que beneficiem os agentes da segurança pública que já residem nos apartamentos, pois metade deles encontra-se desocupados.  
"Agradeço o empenho pessoal do Deputado por tentar nos ajudar", disse Xavier.
Fonte: Blog do cabo Júlio