sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Vitória na luta do excedentes do concurso de Agente penitenciário de 2012.

Juntos somos mais fortes!



Em reunião hoje com o secretário Dr. Rômulo Ferraz, foi confirmado a convocação de TODOS os excedentes do concurso, graças a um esforço conjunto do Henrique Corleone, Paulo Henrique, Wladmir Dantas, Fábio Jonas (o criados do grupo dos excedentes) e meu Deusa Malheiros, dentre outros que estão desde o inicio dessa luta, cada um colaborando de uma forma. Vale salientar que o Deputado Lincon Portela foi de extrema importância nessa conquista e que se não fosse ele com certeza não obteríamos tal resultado. Foi dito também que serão feito todos os esforços para que todos sejam efetivados ainda esse ano com a data provável no dia 17 de Julho.

Equipe de voluntários do Presídio de Visconde do Rio Branco realizam carnaval solidário



 Integrantes da equipe do Presídio de Visconde do Rio Branco resolveram nesta data pré-carnaval, levar esperança, apoio e força às pessoas que estão na luta contra a dependência química, integrantes grupo de Pró-Voluntariados (Voluntários SUAPI), visitaram nesta quinta feira dia 27/02/2014 a Casa REVIVER em Visconde do Rio Branco, comunidade esta de recuperação para dependentes químicos que sobrevive de ajuda e doações.
  “O encontro foi agradável e fomos agraciados com um maravilhoso almoço feito pelos assistidos relata um integrante do grupo”. Alguns deles já estiveram reclusos na nossa unidade e pagaram por seus crimes, hoje em liberdade buscam a cura para seus respecticos vícios (alcool e drogas ilícitas). Segundo relatou Sr. Vitor Coordenador da Casa de Recuperação (ex detento).
  foi um manhã maravilhosa, pois quando esteve preso não nunca viu no sistema Prisional a preocupação das pessoas com os presos, eram meros cumpridores de ordem do Estado (eram mandados)... vendo todos voluntariamente, aqui nessa manhã, com certeza levo essa lição de vida e renovo minhas energias contra esse mal humanitário que é o vicio (sic). 
  A visitação foi uma oportunidade única para o grupo de voluntários fazer suas reflexões sobre a importância do combate ao uso de drogas e levar a mensagem aos assistidos de que a recuperação é possível, e que o carnaval não precisa ser uma justificativa para interromper o tratamento e mergulhar nas drogas. Viva o Carnaval solidário!!!! Paz e bem sempre!!!


Ass: Voluntários SUAPI de Visconde do Rio Branco



quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Imagens da semana

Equipe Feminina da CIESP/JF, primeiro treinamento de 2014.
TREINAMENTO DURO, COMBATE FÁCIL.



CIESP/JF - DE VOLTA AOS TREINAMENTOS, CAMPO DE INSTRUÇÃO! - (1ª- 02/2014)
FEMININO - TERNURA, SEM PERDER A BRAVURA (E VICE-VERSA) !!!


Imagens: Jardeson

Plano de fuga do Marcola (Reportagem SBT)



Seminário de DEFESA PESSOAL E JIU-JITSU em Uberlândia/MG


 Fonte: Prof. Fábio Graciano - Gracie Barra -Triângulo Mineiro

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

OPERAÇÃO CÁRCERE SEGURO NO PRESÍDIO MONTES CLAROS



O presídio regional de Montes Claros, no Norte do Estado, que em dezembro enfrentou uma rebelião, passou por um pente-fino nesta terça-feira. A operação aconteceu depois que drogas chegaram para um detento pelos Correios através do SEDEX. 


video


Um forte aparato de Agentes Penitenciários e Policiais Civis da 11ª Risp, mobilizarão a OPERAÇÃO CÁRCERE SEGURO no Presídio Regional de Montes Claros

A operação cárcere seguro manobrada pela SUAPI & POLÍCIA CIVIL  no Presídio Regional de Montes apreenderam vários objetos ilícitos, bem como chuços, celulares e drogas. Visando prevenção no período carnavalesco à Diretoria de Segurança do PRMOC/MG, que hoje logrou êxito numa ação de varredura nas celas dos presos. No tocante, os  flagrantes foram lavrados de imediato pela autoridade policial e providências tomadas. Assim, o Diretor Geral  Souza e os Delegados da Polícia Civil Dr. Bruno e Dr. Jurandir comentaram que as operações prosseguirão por tempo indeterminado com o afinco de combate ao crime organizado dentro do presídio da cidade de Montes Claros.

Prêmio Produtividade será pago de 2X (Oficial)

Imagem Ilustrativa

Governo de Minas vai destinar R$ 570 milhões para o Prêmio por Produtividade

Mais de 360 mil servidores receberão o bônus em função de metas cumpridas. O pagamento será feito em duas parcelas, nas folhas de março e junho
O Governo de Minas vai investir R$ 570 milhões no Prêmio por Produtividade, beneficiando aproximadamente 365 mil servidores em atividade na administração direta e indireta do Estado. O anúncio foi feito nesta terça-feira (25/2) pela subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Fernanda Neves, durante a primeira reunião do Comitê de Negociação Sindical (Cones) em 2014. O pagamento do bônus será feito em duas parcelas, nas folhas de março e junho, que são creditadas no quinto dia útil de abril e julho, respectivamente.
Os servidores receberão o Prêmio por Produtividade pelo cumprimento de metas pactuadas em 2012 pelas equipes em suas áreas de atuação - educação, saúde, desenvolvimento social, transportes, entre outras. As metas são pactuadas em duas etapas do Acordo de Resultados. Na primeira etapa, os secretários e dirigentes de órgãos pactuam as metas com o governador. Na segunda etapa, cada equipe ou unidade gerencial, como escolas e hospitais, pactua as metas com o dirigente da secretaria ou órgão. Naquele ano foram cerca de 1.200 metas específicas, entre indicadores e produtos.
Os servidores alcançam diferentes índices de participação, de acordo com a quantidade e com o percentual de resultados alcançados. O desempenho médio entre todos os órgãos avaliados foi 88%. O valor final do bônus considera a nota obtida e os dias efetivamente trabalhados. “Cada servidor pode receber como bonificação até o valor correspondente a um salário”, afirma Fernanda Neves.
Resultados positivos em 2012
Como resultados das metas acordadas e cumpridas na área da Educação, merecem destaque os 305.105 mil novos alunos atendidos pelo Projeto de Educação Profissional (PEP) e os 70.381 alunos atendidos em turmas de aprofundamento de estudos no Ensino Médio. Os indicadores relativos ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) também foram 100% cumpridos.
Na área da Saúde, o cumprimento das metas resultaram na implantação de 100 unidades do Farmácia de Minas, sete Casas de Apoio a Gestante e Puérpera e quatro Centros Hiperdia Minas em Pirapora, Patos de Minas, Diamantina e Teófilo Otoni. A meta dos indicadores também foi alcançada pelo sistema de saúde, a exemplo do aumento da cobertura populacional do Programa Saúde da Família que atingiu naquele ano 76,9% das famílias. A proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal atingiu 72% em 2012.
No sistema operacional de Defesa Social, as metas resultaram na criação de 270 vagas para cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto nos municípios de Oliveira, Sete Lagoas, Pedro Leopoldo, Viçosa e Pompéu. Outra meta cumprida foi a implantação do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) em 480 municípios mineiros.
O atendimento de 72.107 alunos por meio do Poupança Jovem foi um dos resultados positivos na área de desenvolvimento social. Na área da agricultura, merecem destaque a certificação internacional de 1.644 propriedades produtoras de café e o volume de fiscalizações do uso de agrotóxicos em propriedades rurais, que somou cerca de 5.500 em 2012. No setor de transportes e obras públicas, o percentual de municípios com acesso pavimentado chegou a 98% e foram recuperados 934,6 quilômetros de rodovias.
Comitê de Negociação Sindical
Realizada na Cidade Administrativa, a primeira reunião do Cones foi conduzida pela subsecretária Fernanda Neves, com a participação da diretora da Assessoria de Relações Sindicais da Seplag, Helga Beatriz Almeida, e de 10 entidades que representam os servidores do Executivo.
No encontro, ficou definido o cronograma de reuniões mensais, para discutir temas como assédio moral, saúde ocupacional, liberação de servidor para exercício de mandato eletivo sindical e a política remuneratória. Esse último tema é discutido de acordo com a Lei de Política Remuneratória (Lei nº 19.973/2010).
“A definição das pautas é fruto das reivindicações formuladas pelas entidades e enviadas para a Seplag. No Cones, discutimos os assuntos gerais relativos ao conjunto de servidores. No caso de questões específicas, estamos à disposição para marcar reuniões com os representantes por categoria”, destaca Fernanda Neves.

Fonte:http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-vai-destinar-r-570-milhoes-para-o-premio-por-produtividade/

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Governo mineiro está pronto para brigar na Justiça por mudanças na previdência do funcionalismo

Bruno Porto - Hoje em Dia

Lucas Prates/Hoje em Dia
Renata Vilhena_Lucas Prates_Hoje em Dia
Parecer favorável – A secretária Renata Vilhena diz que houve segurança jurídica na operação

O governo de Minas Gerais se prepara para o embate nos tribunais no caso das alterações na previdência do funcionalismo público estadual. No final de 2013, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou proposta do Executivo sobre a extinção do Fundo de Previdência do Estado de Minas Gerais (Funpemg), com 66.225 segurados, e a transferência do saldo existente de R$ 3,2 bilhões para cobrir parte do rombo de R$ 6,5 bilhões do Fundo Financeiro da Previdência (Funfip).
 
O Funfip tem 449,5 mil ativos, aposentados e pensionistas. Ele funciona em regime de repartição simples, pelo qual os servidores que estão na ativa custeiam os benefícios dos aposentados e pensionistas. 
 
Com as alterações, foi criado o Fundo Previdenciário de Minas Gerais (Funprev), que dará cobertura aos servidores que ingressarem na administração estadual após sua instituição. Ele operará em regime de capitalização – as contribuições são registrados em contas individuais para o pagamento das aposentadorias, de forma similar ao que acontece na previdência complementar privada.
 
A operação foi questionada pelo governo Federal, e o Ministério Público ajuizou ação contra a mudança. “Temos muita segurança no que fizemos, com parecer da Advocacia Geral do Estado. A lei federal não veda o que fizemos. Para gerações futuras estamos adotando modelo que economicamente é sustentável”, disse a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, em entrevista ao Hoje em Dia que será publicada nesta segunda-feira (24) na Página 2 Entrevista.
 
Ela também vai abordar temas como os índices de criminalidade em Minas Gerais e as metas de redução, assim como o polêmico nível de endividamento do Estado.
 
Renata Vilhena classificou como “falácia” as críticas no sentido de que o Estado se endividou demais. “É uma falácia dizer que Minas Gerais está muito endividada, porque eu cumpro os indicadores da Lei de Responsabilidade Fiscal. O que eu tomei de operações de crédito cabe perfeitamente dentro do meu fluxo de caixa. É o mesmo que acontece quando se compra uma casa, que tem valor muito acima do meu salário, mas as parcelas cabem perfeitamente dentro do meu fluxo”, disse.
 
Ela destacou o esforço do governo para diversificar a estrutura produtiva do Estado, hoje dependente dos preços das commodities.

Fonte: Hoje em Dia

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Operação da Polícia Civil termina com nove assaltantes mortos no Sul de Minas

A quadrilha já vinha sendo monitorada pela Polícia Civil de São Paulo, que observou a movimentação do grupo para Minas
A polícia apreendeu fuzis, pistolas e bananas de dinamite que seriam utilizadas para roubos à caixas eletrônicos
 Uma operação conjunta das Polícias Civil de Minas e São Paulo terminou com nove assaltantes de banco mortos em Itamonte, no Sul de Minas. Os criminosos faziam parte do que a Polícia Civil chama de uma das mais perigosas quadrilhas especializada em explosões a caixas eletrônicos atuante nas divisas de Minas, Rio e São Paulo.
Pelo menos 15 homens em sete carros chegaram fortemente armados à cidade, prontos para realizar assaltos nos bancos locais. Segundo a Polícia Civil, além disso os suspeitos também pretendiam dominar o batalhão da Polícia Militar na cidade. “Essas foi uma operação exitosa que certamente tirou de circulação uma importante quadrilha de arrombamentos, responsável por ocorrências no Sul de Minas e São Paulo”, afirma o chefe do Departamento da Polícia Civil de Pouso Alegre, João Eusébio.

A quadrilha era monitorada há cerca de oito meses. Segundo o delegado, o alvo da madrugada era apenas a cidade de Itamonte, mas o grupo já chegou a agir em outras cidades da região.

Ciente dos novos planos, a corporação, com o apoio da PM e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aguardou a chegada da quadrilha na cidade. O grupo chegou a explodir um caixa eletrônico na praça da cidade antes de ser surpreendido pelos policiais. No local houve uma troca de tiros e cinco membros da quadrilha foram mortos.

Um grupo conseguiu escapar e seguiu em direção à BR-354 onde uma barreira já havia sido formada, fechando a rodovia. Em uma nova troca de tiros, mais quatro homens foram mortos. Outros três suspeitos ficaram feridos e foram levados para o hospital de São Lourenço, onde um policial civil baleado no braço também foi atendido.

Mais dois membros da quadrilha foram presos em São Paulo, após terem fugido do local, e um permanece foragido. Um deles foi encontrado Arujá, no interior paulista, com a bandeja de dinheiro obtida do caixa eletrônico explodido. O outro suspeito foi encontrado em Guaratinguetá.

Além dos membros da quadrilha, a operação também apreendeu três escopetas, cinco fuzis, três revólveres calibre 38, sete pistolas 9 mm e .40, seis bananas de dinamites e duas máscaras.

Segundo a Polícia Civil, os setores de inteligência das corporações mineiras e paulistas já monitoravam a quadrilha há meses. Mais de 80 policiais de Minas e São Paulo participaram da operação, além dos homens da PRF e PM. 






 Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/02/22/interna_gerais,501017/operacao-da-policia-civil-termina-com-nove-assaltantes-mortes-no-sul-de-minas.shtml#.Uwi-SEzKXWY.facebook

Nota de retificação

Cara da Tristeza
HOJE FOI PUBLICADO EM NOSSO BLOG UMA REPORTAGEM COM UMA SUPOSTA DATA DE PAGAMENTO PARA O PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE, MAS CONFORME OBSERVADO PELOS NOSSOS SEGUIDORES SE TRATAVA DE UMA REPORTAGEM DE 2013, DESTA FORMA PEÇO DESCULPA PELO ERRO, POIS RECEBEMOS TODOS OS DIAS MUITOS EMAIL'S E LINK'S DE SUGESTÕES DE REPORTAGENS.

MAIS ASSIM QUE REALMENTE FOR ANUNCIADO DE FORMA OFICIAL ESTAREMOS DANDO PUBLICIDADE EM NOSSO BLOG.

VALE RESSALTAR QUE A REPORTAGEM TEVE 73 VISUALIZAÇÕES ANTES DE SER EXCLUÍDA, MOSTRANDO QUE NOSSO CANAL DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO TEM CREDIBILIDADE JUNTO AOS SEUS SEGUIDORES.

ATT. ASP FÁBIO CARLOS COLABORADOR DO BLOG DOS ASP'S DE JUIZ DE FORA.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

AGENTES PENITENCIÁRIOS E SOCIOEDUCATIVOS RECEBEM O PRESIDENTE DA AASPESEN-MG ALEXANDRE GUERREIRO NUMA REUNIÃO PAUTADA PARA RESGATAR A VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR NA CIDADE DE PIRAPORA-MG

À Associação dos Agentes Prisionais e Socioeducativo do Norte de Minas participaram de reunião com os agentes socioeducativos, penitenciários e excedentes do concurso ASP/2012, na sede do Sindicato dos Servidores Municipais de Pirapora – MG, neste dia 21 de fevereiro de 2014, às 10h. O presidente da AASPESEN-MG presidiu a reunião juntamente com o Agente Fábio e o Ten Alan Cardek (assessor parlamentar do cabo Júlio). Na pauta da reunião foram abordados questões de valorização do servidor prisional e socioeducativo, superlotação penitenciária, plano de saúde IPSEMG, escala de trabalho 12/48 (humana), nomeação dos excedentes e seguido de outros assuntos que entraram em pauta. Ainda visitamos o Presídio Regional de Pirapora, na íntegra fizemos uma reunião com o Diretor Geral Helder para elucidar dúvidas  ouvimos agentes penitenciários, de tal modo vislumbrando buscar melhorias para os servidores do sistema prisional de Pirapora num todo.
Desde já, queremos agradecer o carinho e atenção que recebemos de todos.

ALEXANDRE GUERREIRO

TEN ALAN CARDEK


AGENTE FÁBIO


Presídio em Uberlândia cogita bloquear sinal de telefonia em 2014

Segundo diretor, 80% das detentas foram pegas por burlar a segurança.
Em janeiro, foram localizados 75 aparelhos dentro das celas.

Presídio Jacy de Assis uberlândia vistoria radiografia (Foto: Reprodução/ TV Integração)
Presídio conta com equipamento de radiografia
(Foto: Reprodução/ TV Integração)
 
O presídio Professor Jacy de Assis, em Uberlândia,  pretende instalar ainda neste ano uma tecnologia que bloqueia as ligações, conexões de internet e envio de mensagens no local. Um dos motivos que levou à medida foi a identificação de 75 celulares nas celas, em janeiro. De acordo com o diretor do presídio, Adanil Firmino, atualmente, 80% das 68 mulheres presas foram pegas tentando burlar a segurança.
“A ligação é namorada, esposa, às vezes são até obrigadas a fazer isso. Acho muito cruel isso que a pessoa que está aqui faz com a família que está lá fora. Com isso, acabam trazendo esposas e namoradas também para a prisão, para pagar pena”, afirmou.
O diretor afirmou ainda, que cerca de 600 pessoas passam pela unidade prisional todo fim de semana e que tudo que chega através das visitas é vistoriado e passa pelo equipamento de radiografia. Mesmo assim, muitos aparelhos são arremessados por cima do muro e visitantes inserem os aparelhos no corpo para driblar a segurança. Dessa forma, os detentos criaram até um perfil em rede social para comunicação externa.
Em 1999 houve uma tentativa de implantar o aparelho através de uma torre, mas foram bloqueadas as chamadas dentro e fora do presídio. “Esse que estamos implantando agora, que o Estado já testou,  bloqueia só aqui dentro, então não entra e nem sai nenhum tipo de sinal”, acrescentou.
Atualmente a unidade prisional abriga mais de 1.846 presos, quando a capacidade máxima é para 940.

Fonte: G1 Triângulo Mineiro

Delegada regional da Polícia Civil toma posse em JF

Sheila é a primeira mulher a assumir o cargo em JF
Sheila é a primeira mulher a assumir o cargo em JF
A delegada regional de Polícia Civil, Sheila Aparecida Pedrosa de Mello Oliveira, 35 anos, foi oficialmente empossada ao cargo nesta quinta-feira (20), em solenidade na sede da 4ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp). O evento contou com a presença do chefe da Polícia Civil no estado, Clyton Brandão, do delegado de Polícia Federal Cláudio Dornellas, do prefeito Bruno Siqueira (PMDB) e de representantes dos poderes Legislativo e Judiciário, além da OAB.
Emocionada, Sheila, que é a primeira mulher a assumir o cargo na cidade, falou dos desafios a serem enfrentados. "Entendo o tamanho da responsabilidade e sei da capacidade da polícia para realizar as mudanças necessárias e esperadas." Para o prefeito, a preocupação está em reverter o crescente número de homicídios registrados em JF. Segundo ele, a sensação de segurança será conquistada por meio da união de esforços da sociedade civil organizada. Já o titular do Tribunal do Júri, juiz José Armando da Silveira, levou o seu discurso para um tom político ao dizer que os policiais precisam ser mais bem remunerados. Ele afirmou, porém, que há uma união de esforços pela paz social. Sheila está no cargo desde novembro, quando substituiu Paulo Sérgio Virtuoso.

Fonte: Tribuna

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

FENASPEN APRESENTA SEU TRABALHO REALIZADO COM SUCESSO NO DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL.

Imagem: Jarbas FENASPEN
 Como é sabido por nossa categoria, vários lideres sindicais dos diversos estados da nação que compõem a FENASPEN, se dedicaram a um trabalho muito importante que foi realizado dentro do DEPEN nos últimos cinco meses.
  Em decorrência de uma solicitação de audiência ao ministério da justiça e ao DEPEN, dura
nte as conversas preliminares, chegamos a conclusão de que, a maioria dos nossos problemas decorrem justamente da falta de uma identidade funcional desta categoria, que inclusive possuem diversos nossos em cada estado, com prerrogativas diferentes e realizando atividades que ainda não se encontravam previstas em lei.
  Concordando todos sobre este aspecto, nasceu o Grupo de Trabalho onde se agregaram várias entidades importantes tais como, DEPEN, Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Conselho Nacional de Politica Criminal e Penitenciária, Pastoral Carcerária além da FENASPEN.
  Depois de vários debates, de discordâncias e composição de ideias, chegamos ao presente projeto que apresentamos a sociedade e aos agentes e servidores penitenciários de todo o Brasil.
  O Grupo de Trabalho, designado pela FENASPEN e demais entidades, estão de parabéns pela conclusão de tão importante documento, e terminamos com aquele sentimento do dever cumprido, e dizemos: fizemos nosso trabalho, num momento em que nos propusemos ao debate construtivo.
  De agora em diante a “bola” está com o Ministério da Justiça para encaminhamento deste à presidente Dilma a fim de que ela compre a ideia e encaminhe ao Congresso Nacional para sua apreciação e votação.
  Queremos fazer aqui um agradecimento ao ilustre Diretor do DEPEN, Dr. Augusto Rossini e a Ilustríssima Ouvidora do DEPEN, Dra. Valdirene Daufenback pelo apoio e pela dedicação em ouvir-nos até chegarmos a um documento dessa natureza, tão importante para o fortalecimento da segurança nas unidades prisionais do país.

FERNANDO ANUNCIAÇÃO
Presidente FENASPEN

JARBAS DE SOUZA
Secretário Geral FENASPEN

ANDERSON PEREIRA
Secretário de comunicação FENASPEN 


 

Professores pedem socorro em JF

A cada três dias, sindicato da categoria recebe uma denúncia de agressão física ou verbal contra docentes das redes pública e particular

Por Daniela Arbex

Cada vez mais fragilizada, a relação aluno/professor teve o medo acrescentado em um de seus componentes. A cada três dias, o Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro) recebe um telefonema com pedido de ajuda de docentes das redes pública e particular que são alvo de algum tipo de violência física ou verbal não só de estudantes, mas de seus familiares. A situação também é revelada pelo Sindicato dos Professores de Minas, que realizou pesquisa sobre a percepção dos docentes a respeito da violência nos estabelecimentos de ensino do setor privado no estado. O resultado é que 62% disseram ter presenciado agressão verbal, 39% relataram ter visto situações de intimidação e 35% de ameaça. Apesar de ser feito um acompanhamento momentâneo dos episódios, na maioria dos casos, o desfecho de cada ocorrência é desconhecido. Na prática, são raras as situações em que há responsabilização do agressor, com a realização de um trabalho de apoio para identificação das causas de uma postura violenta e garantia de suporte que possibilite mudanças de atitude. No final do desgastante processo de uma ocorrência provocada por desrespeito a quem busca ensinar, resta a desesperança que deforma ainda mais a imagem da educação.
Em dezembro do ano passado, a Escola Municipal Antonino Lessa, no Bairro Santa Efigênia, suspendeu as aulas depois que a diretora e uma professora foram atingidas a pauladas pela tia de um estudante de 12 anos. Além de atacar as docentes, ela jogou pedras contra a instituição e quebrou os vidros das janelas. Descontrolada, a mulher cobrava explicações sobre a agressão ao aluno, após uma briga entre ele e um colega. O pai de um dos meninos teria atingido o estudante para defender o filho. Tanto a diretora quanto a professora entraram de licença para tratamento psicológico.
Há quase seis meses afastada da sala de aula, a professora de português dos anos finais do ensino fundamental Maria Clara Ferreira Spínola, 28 anos, chegou a pensar em pedir exoneração do cargo. Desde que soube que seu aluno teria pedido ao padrasto uma arma para acertar contas com a professora, chegando também a manifestar desejo de levar uma faca para a escola, ela perdeu a estabilidade emocional para continuar. A atitude, que parece exagerada num primeiro momento, afinal o autor da ameaça tem apenas 12 anos, é justificada por ela como um ato de preservação. "Não quis virar estatística, já que temos visto muitos casos nos quais os adolescentes da cidade chegam às vias de fato e consideram status ostentar toda essa violência. Eles fazem parte de uma geração perdida. O pior é que a escola tratou o meu caso como isolado. Os colégios querem responsabilizar o professor pela violência que ele sofre. A gente é vítima, mas tem medo de virar réu. O que eu lamento é a falta de ambiente propício para os adolescentes que querem estudar, e estes são muitos. A maior parte dos alunos tem sede de saber, mas o potencial deles está sendo desperdiçado", comenta a professora, que está em tratamento médico desde agosto de 2013, quando o episódio veio à tona. Ela diz que uma de suas solicitações, a de transferência para outra escola, ainda não foi atendida pela Superintendência Regional de Educação (SRE). O pedido, segundo a professora, foi endereçado ao órgão em outubro do ano passado. A superintendente regional de ensino, Belquis Furtado, informou que Maria Clara foi nomeada no primeiro semestre do ano passado e encontra-se em estágio probatório. "Recebi a solicitação dela em janeiro deste ano e encaminhei para a Secretaria Estadual de Educação. O caso dela está sob análise."
Agredida com uma cadeira por uma mãe de aluna, uma professora da rede particular de Juiz de Fora levou alguns anos para superar o trauma de ter sua dignidade ultrajada. Com pouco apoio da escola, ela se viu sem ambiente para continuar. Sentiu-se tão pressionada que resolveu pedir demissão e deixar o local onde foi alvo de violência. Apesar de mudar de emprego, precisou de tempo para lidar com as lembranças do dia em que foi atacada. Hoje, atuando em outro colégio particular, ela prefere não falar sobre o assunto que a fez adoecer.
Também afastada por problemas de saúde há um ano e meio, Fátima Barcellos, uma das diretoras do Sinpro, diz que a escola virou local de enfrentamento. "Estamos cada vez mais frágeis diante dos alunos. O que impera é a busca de resultados rápidos, mas sem que tenhamos qualquer condição de trabalho. Isso é paradoxal. Além do mais, alunos agressores têm um histórico familiar comprometido, em função de problemas sociais. Nos transformamos em reféns dessa estrutura."

Desvalorização
A coordenadora-geral do Sinpro Juiz de Fora, Aparecida de Oliveira Pinto, mostra-se preocupada com a forma como a educação vem sendo desenhada. "Falar da violência na escola é falar da violência na qual a sociedade está mergulhada. Sem políticas para a juventude, muitos estudantes carregam para o ambiente escolar público os conflitos nos quais estão mergulhados. Já na rede particular, os alunos repetem em sala de aula o que a família diz em casa: sou eu quem pago o seu salário. A violência verbal predomina nas escolas particulares, e o medo de denunciar e perder o emprego também. Assim, a educação torna-se uma mercadoria, e o professor um produto."
Para a diretora do Sind-UTE, Victória Mello, a desvalorização do trabalhador da educação fragiliza o papel do professor. "A criança e o jovem se referenciam pelo valor social da autoridade, e este valor está sendo retirado do professor."

Fonte: Tribuna

Policial Federal é preso por disparos no Vitorino em JF

Imagem Ilustrativa
Um policial federal aposentado, 55 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar depois de efetuar disparos com uma um pistola 9 mm em via pública, em frente a uma casa noturna, na Rua Garibaldi Campinhos, no Bairro Vitorino Braga, por volta das 5h desta quinta-feira (20). De acordo com o boletim de ocorrência, ao deixar a boate, o ex-policial sacou sua arma e realizou diversos disparos, atingindo a marquise do estabelecimento.
Ainda segundo testemunhas, ao manejar a arma, o homem deixou uma munição cair no chão e, antes de fazer o disparo, ele teria apontado a pistola para outro homem. Conforme o registro da PM, o policial apresentava fala desconexa e andar cambaleante. Ele foi conduzido para a delegacia, em Santa Terezinha, onde teve sua prisão confirmada, mas foi liberado após pagamento de fiança. 


Fonte: Tribuna

Ônibus de sacoleiros foi assaltado em JF

 Um ônibus que levava 46 comerciantes de Juiz de Fora para fazer compras em São Paulo foi alvo de bandidos armados, no início da madrugada desta quinta-feira (20), próximo ao trevo do Salvaterra. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), pouco depois da meia-noite, um veículo Palio parou em um túnel que dá acesso à BR-040, bloqueando a passagem. Quando o ônibus se aproximou, dois bandidos desceram do carro, e ordenaram que o coletivo fosse aberto.
Segundo a PRF, eles estavam encapuzados e armados e ameaçaram atirar caso o motorista se negasse a abrir a porta. Em uma ação ousada, os bandidos permaneceram com o Palio atravessado na pista, enquanto assaltavam o coletivo, que ficou parado no viaduto durante o assalto. Enquanto a dupla roubava os passageiros, o comparsa aguardava no veículo. Os suspeitos teriam ordenado que os passageiros entregassem dinheiro e celulares, e enquanto roubavam, ameaçam atirar.
De acordo com a PRF, foram levados cerca de R$ 3.500 e diversos celulares. Os bandidos teriam fugido, em seguida, em direção a Juiz de Fora. O trio não foi localizado, e depois que a ocorrência foi encerrada, o ônibus seguiu viagem.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Resultado 5ª Etapa do concurso ASP-MG/2012

"Grandes conquistas demandam grandes esforços. Honre seus sonhos, não é fugindo das batalhas que se ganha a guerra".Maryanne Schramm
PARABÉNS AOS FUTUROS ASP's DE MINAS GERAIS! ALEXANDRE GUERREIRO - MOC

IBFC



RESULTADO DA 5ª ETAPA EM PDF

http://www2.ibfc.org.br/CONCURSO/SEDS-1225/docs/seds-03-2012-resultado-etapa5.pdf

Sindicatos dos Servidores Prisionais em audiência com Renan Calheiros



  Como havíamos anunciado, aconteceu a audiência com o presidente do congresso RENAN CALHEIROS, na pauta o nosso projeto de lei que amplia o nosso porte de armas em ÂMBITO NACIONAL.
  RENAN se comprometeu em falar com o presidente da Câmara Federal, Henrique Alves, e com o líder do PMDB na câmara, deputado Eduardo Cunha para se chegar a uma agenda para votação deste projeto em tempo breve, haja vista a gravidade da matéria.
O senador alagoano também se comprometeu em votar de maneira mais celere possível esse projeto quando este chegar no senado.
além disso, foi falado com muito afinco sobre a inclusão de projetos de fortalecimento e valorização para os agentes penitenciários quando da tramitação da reforma da lei de execuções penais, onde teremos nosso espaço garantido para o debate sobre as emendas necessárias.
  Neste exato momenro estamos reunidos com a direção da FENASPEN na Câmara, com o intuito e construir uma agenda de lutas nacional, tendo em vista que não podemos só esperar pelos políticos parceiros, sem que façamos nossa parte em forma de movimentação, mobilização, e até greve nacional se for deliberado pelos líderes.
Ao final passaremos as informações. 



Fonte: Jarbas de Alagoas

Deusa Malheiros é destaque na representatividade em busca da nomeação dos concursados e excedentes do CONCURSO ASP/2012

Futura Agente de Segurança Penitenciária Deusa Malheiros esteve reunida com o Secretário de Estado e Defesa Social o Dr. Rômulo Ferraz, na luta pela nomeação dos concursados.



Facebook: https://www.facebook.com/deusa.malheiros

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Presidente do SINDASP/MG representa Agentes de Minas em reunião no DEPEN


 Presidente do SINDASP/MG, Sr Adeilton de Souza Rocha, está em Brasília no DEPEN/MJ (Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça) participando dos debates e finalização do documento final que propõe nossa lei orgânica nacional que unificará nossa função, além de garantir novas prerrogativas.





























Imagens: Face (Jarbas SGAP-ALAGOAS)

JULGAMENTO DO CASO "CARANDIRU"

CARANDIRU

 Policial diz que houve confronto com presos no Carandiru

Depoimento confirma tentativa de negociação e embate com detentos, mas contradiz versão de agente, que afirmou ter visto mais de 75 corpos.



Antes da terceira etapa do julgamento do Carandiru ter sido dissolvida, o coronel da Polícia Militar Arivaldo Sérgio Salgado, que comandava a tropa do Comando de Operações Especiais (COE) no dia em que houve o massacre na Casa de Detenção, foi interrogado pelos promotores  Márcio Friggi de Carvalho e Eduardo Olavo Canto Neto.


O coronel foi o primeiro réu a ser ouvido no julgamento, antes que seu advogado, Celso Vendramini, decidisse abandonar o plenário, provocando a suspensão do julgamento. Salgado é um dos 15 réus acusados pela morte de oito detentos que ocupavam o quarto pavimento (terceiro andar) do Pavilhão 9, da extinta Casa de Detenção do Carandiru, em São Paulo. No dia 2 de outubro de 1992, 111 detentos foram mortos durante uma operação da Polícia Militar para reprimir uma briga que ocorria no Pavilhão.
Enquanto era interrogado, o policial disse que houve confronto entre policiais e detentos no local. Segundo ele, enquanto sua tropa adentrava no pavilhão, “encontrou resistência em cada corredor” pelo qual passou.
Salgado contou que, naquele dia, sua tropa, composta por 16 homens (um deles morreu e por isso não é réu no processo) chegou ao local e ficou parada em frente a um portão de ferro que dava acesso ao Pavilhão 9. Antes que os policiais entrassem no local, tendo o batalhão da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) à frente, houve, segundo ele, uma tentativa de negociação com os presos, sem sucesso.
Salgado disse que o coronel Luiz Nakaharada, que comandava o Terceiro Batalhão de Choque na época do massacre, pegou um megafone e gritou para os detentos: “Gente, calma. A Tropa de Choque está aqui. Vamos tentar negociar”. Mas em resposta, disse Salgado, houve gritos e vaias.
Com isso, disse, os policiais entraram no local. “No térreo, já tinham alguns corpos [de detentos, mortos pelos próprios detentos]”, falou.
Durante a subida para os pavimentos, os policiais encontraram barricadas feitas pelos presos. Na escada que levava ao quarto pavimento, onde sua tropa atuou, ele disse que dispararam contra os policiais. “E aí teve o revide para a gente conseguir chegar ao quarto pavimento”, disse. Salgado contou ter feito, naquela ocasião, cinco disparos de um revólver calibre 38.
Indagado pelo promotor se, logo que entrou no Pavilhão 9 ele teria visto mais de 50 corpos estendidos no pátio, Salgado negou, dizendo ter visto somente cerca de “cinco ou seis corpos”. Isso trouxe uma contradição ao depoimento prestado na manhã de hoje pelo ex-agente penitenciário Francisco Carlos Leme, arrolado como testemunha de acusação, que contou ter visto 75 corpos estendidos no chão antes da entrada da Polícia Militar. Logo após Salgado negar ter visto os corpos, seu advogado interrompeu o interrogatório que era conduzido pelos promotores, reclamando da conduta do juiz e anunciando sua saída do plenário.
O depoimento de Salgado teve início por volta das 14h50 de hoje e foi interrompido às 16h, com a saída de seu advogado.

FONTE: Agência Brasil
IMAGEM: GOOGLE

ASSÉDIO MORAL É CRIME!! SERVIDOR PÚBLICO,NÃO SOFRA,DENUNCIE!! VEJA ABAIXO O FORMULÁRIO PARA ENVIO DA DENÚNCIA.

  Formulários Governo de Minas Gerais
 
 
 
FONTE: http://www.ouvidoriageral.mg.gov.br/formulario

Depen promove políticas de alternativas penais

DEPEN/MJ
Em 2013 foram repassados R$ 7,2 milhões para a estruturação de Centrais Integradas de Alternativas Penais e Centros de Monitoração Eletrônica, com uso de tornozeleiras. 
Em 2014 serão mais R$ 7 milhões
 
Brasília, 17/2/14 O Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça (Depen/MJ) tem fomentado experiências em alternativas penais, formas de responsabilização diferentes do encarceramento e que interessam às autoridades judiciárias, de segurança pública e de execução penal.
Para fortalecer essa prática nos estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás e Paraíba, foram repassados, em 2013, R$ 7,2 milhões para a estruturação de Centrais Integradas de Alternativas Penais e Centros de Monitoração Eletrônica. O objetivo é acompanhar cerca de mil presos de maneira simultânea. Em 2014, mais estados serão definidos e beneficiados com outros R$ 7 milhões para ações similares.
As alternativas penais podem ser adotadas pelos juízes em caso de crimes de menor potencial ofensivo, em que não foi empregada violência ou grave ameaça, puníveis com pena igual ou inferior a quatro anos, nas quais o agressor não tenha antecedentes criminais.
Tornozeleiras eletrônicas
A monitoração eletrônica, com a utilização de tornozeleiras, é uma opção que vem sendo adotada por juizes em casos de livramento condicional; cumprimento de pena em regime semi-aberto; restrição de direito (com proibição a lugares específicos); substituição à prisão provisória; saída temporária (conhecidos como “saidões”); medidas protetivas de urgência (Lei Maria da Penha); medidas cautelares diversas da prisão (art. 319 CPP); e  casos de prisão domiciliar.

Além de evitar que tais pessoas entrem em contato com o ambiente estigmatizante das prisões, as alternativas penais também geram economia aos cofres públicos. Enquanto um preso custa, em média, R$ 1,8 mil por mês, o monitoramento eletrônico de uma pessoa pode custar entre R$ 200,00 e R$ 600,00, dependendo do estado e dos termos contratuais da empresa que fornece os equipamentos.
As tornozeleiras eletrônicas são utilizadas com peça única ou em duas peças. Toda pessoa a ser monitorada eletronicamente deve obedecer a procedimentos e rotinas específicas, aplicadas por determinação judicial, desde a utilização para evitar a aproximação de pessoas, como em casos de violência doméstica; até em casos que haja a obrigação para se recolher em domicílio no período noturno ou não se ausentar de determinada Comarca.

De acordo com Marcus Rito, coordenador-geral do Programa de Fomento às Penas e Medidas Alternativas do Depen, o investimento nas tornozeleiras eletrônicas faz parte do que prevê a política apoiada pelo Ministério da Justiça. “A idéia é oferecer meios para que o Poder Judiciário aplique medidas cautelares diversas da prisão conforme o previsto no Código de Processo Penal, fazendo que, quando possível, pessoas respondam o crime fora das prisões, impactando diretamente no número de presos provisórios no país”, explicou.

Há importância ainda de se avaliar a situação de pessoas consideradas em situação de vulnerabilidade dentro do sistema prisional, como mulheres grávidas, portadores de doenças infecto-contagiosas, condenados maiores de 70 anos e condenadas com filho menor, deficiente físico ou mental. “A monitoração eletrônica é uma medida cautelar essencial para que se impeça que pessoas fiquem presas desnecessariamente enquanto aguardam julgamento e importante instrumento de retirada de pessoas em situação vulnerável dentro do sistema prisional”, diz Rito.
Quanto ao controle de fugas, os equipamentos atuais possuem sensores que identificam a proximidade da tornozeleira com a pele, além de outros sensores destinados à violação de suas peças. Quando há uma tentativa de quebra, um rompimento total, ou ainda a fuga de uma pessoa da comarca ou área pré-determinada pela decisão judicial, o sistema de monitoração indica o tipo de ocorrência e os encaminhamentos para a captura, se necessária. “No caso da pessoa não estar mais com a tornozeleira, se a captura for solicitada com celeridade, a área de busca pode ser reduzida, baseando-se na última localização do indivíduo”, detalhou o Coordenador-Geral do Depen.
Centrais Integradas - No caso das Centrais Integradas, os projetos servirão para definir a estrutura física e contratação de parte da equipe técnica multidisciplinar que irá fiscalizar o cumprimento das alternativas penais determinadas pelo Poder Judiciário. Eles também vão realizar os atendimentos psicossociais com os cumpridores e realizar os encaminhamentos necessários à composição de uma rede assistencial e de parceiros, além de grupos de sensibilização e fóruns de discussão.

Marcus Santos
Agência MJ de Notícias
(61) 2025-3135/3315
imprensa@mj.gov.br
www.justica.gov.br

Nomeação de parentes para cargo em comissão é nepotismo


Gil Ferreira/Agência CNJ
Nomeação de parentes para cargo em comissão é nepotismo

Configura nepotismo a nomeação de parentes para cargos em comissão, ainda que nenhum deles possua vínculo efetivo com a administração pública nem as funções apresentem similaridade ou impliquem subordinação hierárquica entre eles. Foi como respondeu o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a uma consulta, na 182ª sessão ordinária, realizada na última terça-feira (11/2), em Brasília/DF. A decisão foi proferida pelo presidente do órgão, ministro Joaquim Barbosa, durante a divulgação da pauta rápida. Prevaleceu, por maioria, o voto da relatora do caso, conselheira Gisela Gondin.
A consulta 0007482-72.2013.2.00.0000 foi movida por um cidadão que queria saber sobre a possibilidade da manutenção da nomeação dele e de mais um parente, em cargos comissionados, nas circunstâncias descritas. Ele argumentou que a Resolução CNJ n. 7, que veda o nepotismo, trouxe muitos avanços no combate a essa prática. No entanto, entende que esse tipo de favorecimento só estaria configurado nos casos em que se verifica a influência de um servidor na nomeação do parente. O autor alegou que, no caso dele, não há nenhuma relação entre as nomeações. Por isso, requereu do CNJ um pronunciamento sobre a possibilidade de ambos permanecerem no cargo.

Ao apreciar a questão, Gisela afirmou que a situação está sim prevista na Resolução CNJ n. 7, mais precisamente no inciso 3º do artigo 2º do ato normativo. O dispositivo regula os casos em que o agente gerador da incompatibilidade é servidor do órgão judicial, ocupante de cargo de direção e assessoramento. “A regra não suscita dúvidas quanto ao seu âmbito de aplicação e incide sobre a situação descrita pelo consulente, isto é, veda-se, justamente, a nomeação de determinada pessoa para cargo em comissão ou função comissionada a qual tenha relação de parentesco com outra já ocupante de cargos de provimento em comissão”, afirmou.

A conselheira lembrou que entendimento nesse mesmo sentido foi adotado pelo Plenário do CNJ recentemente no julgamento da Consulta 0001933-18.2012.2.00.0000 e do Procedimento de Controle Administrativo 0003102-40.2012.2.00.0000.

“Na esteira dos citados precedentes, quando somente um servidor possui vínculo efetivo com a administração judiciária, há nepotismo, e com muito mais razão, quando ambos não são ocupantes de cargos efetivos, está configurada a situação proscrita pelo CNJ. Ante o exposto, conheço da presente consulta, respondendo-a negativamente de modo a estabelecer que a nomeação de pessoa para cargo de provimento em comissão a qual tenha vínculo de parentesco com outro ocupante de cargo comissionado, sem que haja, por parte de qualquer deles, vínculo efetivo com o Tribunal de Justiça, configura nepotismo, independentemente da identidade dos cargos ou de subordinação hierárquica entre eles”, determinou a conselheira.

Giselle Souza
Agência CNJ de Notícias

Detento é investigado após ter fotos de sexo postadas em rede social

Detento é investigado após ter fotos de sexo postadas em rede social, em Goiás (Foto: Reprodução/Facebook)
Fotos de detento com uma mulher foram postadas
em rede social (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Rapaz fez as imagens com celular, mas não se sabe se ele já estava preso.
Em 2011, ele tentou fugir do presídio usando roupas de mulher e peruca.

Do G1 GO


Um presidiário de 29 anos é investigado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária de Goias (Sapejus) após fotos dele fazendo sexo com uma mulher serem postadas em uma rede social. As imagens foram registradas pelo próprio detento, com um celular. A Sapejus investiga se as fotos foram feitas dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana.
A postagem diz que a mulher é uma prostituta. Nas fotos, ambos estão nus. O rapaz está preso em regime fechado desde 2010, segundo a Sapejus. Ele foi condenado a 26 anos de prisão pelos crimes de tráfico de drogas, tentativa de homicídio e lesão corporal.
A Sapejus afirma que também abriu um procedimento administrativo para, caso a foto tenha sido feita dentro do presídio, apurar se houve participação de algum servidor.
Em 2011, o jovem tentou fugir da Penitenciária Odenir Guimarães (POG) vestido de mulher. Na ocasião, ele usou peruca, bijuterias e enchimento nos seios, mas foi barrado pelos agentes penitenciários ainda no primeiro portão de saída.

Mais um homicídio é registrado na zona leste

Jovem encontrado em terreno foi morto a pedrada

Por Tribuna
Polícia chegou até cadáver por meio de denúncia
Polícia chegou até cadáver por meio de denúncia
 O homem encontrado morto em um terreno da Vila Alpina, Zona Leste, na manhã desta terça feira (18), foi identificado como sendo Wemerson Mendes da Silva, 19 anos, morador do mesmo bairro. Após perceber movimentação de policiais na área conhecida como saibreira da Vila Alpina, na divisa com o São Benedito, a mãe da vítima, Rita de Cássia Mendes, 59, foi até o local e não teve dúvidas de que tratav-se de seu filho, desaparecido desde a madrugada de segunda-feira. Peritos da Polícia Civil realizaram levantamentos, e a principal suspeita é de que o jovem tenha sido morto a pedradas. 
Ele apresentava cortes contusos na cabeça, ferimentos de defesa nas mãos e estava caído em uma fenda, com o rosto virado para o chão. Além de estar sujo de barro, devido às recentes chuvas, o corpo estava coberto por um bambu, uma porta danificada e vegetação. Apenas os pés estavam aparentes. Chinelos da vítima estavam caídos na área de morro, perto do cadáver. O corpo já foi removido pela funerária, com ajuda de policiais militares, e encaminhado para necropsia no Instituto Médico Legal (IML). O exame deverá apontar a causa da morte.  
O acesso de veículos até o local do crime é feito pela Rua Sebastião Costa. De acordo com o comandante da 70ª Companhia da PM, capitão Marcelo Alves, a equipe recebeu denúncia anônima de que haveria um cadáver naquela região. Ao verificar, os policiais localizaram o corpo caído na fenda. Após os trabalhos periciais, o capitão confirmou se tratar de homicídio.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Suspeito de violência sexual em Juiz de Fora está preso no Ceresp

Jovem foi estuprada no Bairro Poço Rico em Juiz de Fora, em janeiro.
Imagens de câmera de segurança ajudaram na identificação do rapaz.

Do G1 Zona da Mata

Suspeito de Violância Sexual Juiz de Fora (Foto: Reprodução/TV Integração)
Suspeito está preso no Ceresp em Juiz de Fora
(Foto: Reprodução/TV Integração)
 
Está preso no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Juiz de Fora o rapaz de 18 anos suspeito de violentar uma jovem de 25 anos no Bairro Poço Rico. De acordo com a Polícia Civil, ele confessou três crimes semelhantes na cidade, sendo um estupro consumado e duas tentativas. Segundo o jovem, a última vez teria ocorrido em dezembro de 2013 no mesmo bairro e a outra quando era adolescente, na Rua Marechal Deodoro, no Centro.
Ele foi detido na tarde desta quinta-feira (13) na Rua São Sebastião, no Centro, e apresentado nesta sexta-feira (14) na Delegacia da Mulher. As imagens de câmeras de segurança, divulgadas nesta quarta-feira (12), ajudaram na identificação. O suspeito foi reconhecido quando a vítima, uma auxiliar de enfermagem, assistiu ao vídeo. O crime ocorreu no dia 5 de janeiro, quando a jovem ia para o trabalho no início da manhã de domingo. Ela caminhava pela Rua da Bahia, no Bairro Poço Rico, quando ia para o trabalho por volta das 6h45 de domingo e foi atacada quando passava por um terreno baldio, ao lado de um campo de futebol. O homem usou um canivete e a arrastou até um muro.

De acordo com a polícia, ela percebeu que estava sendo seguida e, quando olhava para trás, o suspeito disfarçava ao telefone. “Ela é conclusiva. É o autor o homem que passa nesse vídeo”, afirmou a delegada Maria Pontes. Depois do estupro, ela ainda sofreu lesões corporais.
Do ponto onde a gravação foi feita até o local do estupro, a jovem foi perseguida por mais de 400 metros. Por isso, a polícia alerta que, diante de qualquer suspeita, mulheres devem se proteger e pedir ajuda. “Estando em dúvida ou com alguma suspeita, a mulher que deve procurar um refúgio, uma pessoa, uma loja, para ter um apoio”, alertou a delegada.