sexta-feira, 28 de março de 2014

Agentes Penitenciários de Minas agradecem ao Deputado Federal Lincoln Portela pelo apoio ao PL 6565

VITÓRIA DA SEGURANÇA PÚBLICA! 

PL 6565/13 APROVADO PELA CÂMARA.

 O deputado Lincoln Portela comemorou a aprovação do PL 6565/2013 que concede porte de arma funcional aos integrantes do quadro efetivo de agentes e guardas prisionais, aprovado há pouco pelo Plenário. A matéria segue agora para o Senado Federal.

Portela tem trabalhado incansavelmente pelos projetos de Segurança Pública. O deputado é um dos mais atuantes na área e considera crítica a situação vivida no país. "O Brasil vive uma guerra civil. Precisamos votar e aprovar projetos que valorizem os profissionais da Segurança Pública e que contribuam para criar uma cultura de paz na sociedade".

 

 

quinta-feira, 27 de março de 2014

DEPUTADO CABO JÚLIO SOLICITA AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DISCUTIR O ROUBO DAS ARMAS E A SEGURANÇA DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS EM RIBEIRÃO DAS NEVES


  
Central de Escoltas, em Ribeirão das Neves, na Grande BH (Foto: Reprodução/TV Globo)Central Integrada de Escoltas

O Deputado CABO JÚLIO apresentou nesta quinta-feira (27/03) à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) requerimento de audiência pública para discutir o furto das armas na Central Integrada de Escoltas, próximo ao presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte, de onde 45 armas foram roubadas na segunda-feira (24) e a segurança dos agentes penitenciários que estavam de plantão, no dia, e de seus familiares. Segundo informações divulgadas na imprensa mineira, os agentes estão com medo de serem vítimas de queima de arquivo. Eles foram afastados por 30 dias e, ainda de acordo com a imprensa, não estariam recebendo amparo do Estado. 

HELIL BRUZADELLI RECEBE COMENDA ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE SÃO LOURENÇO

O Superintendente de Atendimento ao Preso SEDS / SUAPI, recebeu no último dia 23, na cidade de São Lourenço, Sul do Estado, a Comenda Estância Hidromineral de São Lourenço. Presentes ao evento, várias autoridades estaduais e municipais, como também outras de diversos estados brasileiros. O Governador do Estado, Antonio Anastasia, presidiu o evento, sendo esta, a última cerimônia pública que participa antes de deixar o cargo no próximo dia 04 de abril. Parabéns ao nosso grande batalhador no Sistema Prisional Mineiro, pela grande homenagem recebida.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Aprovado PL 6565 Porte de Arma Federal

Crédito das imagens Fábio Carlos
Blog dos Agentes Penitenciários de Juiz de Fora.





Estados presentes : Minas, Rio, Maranhão, Piauí, Rondônia, Pernambuco Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, Distrito Federal, Amapá.

sábado, 22 de março de 2014

CIESP/JF em apoio à Operação CAVALO DE TRÓIA II

Pontos estratégicos das vilas Esperança I e II foram tomados pela PM e Polícia Civil, que fecharam entradas onde fizeram barreiras com armas, viaturas e Cavalaria

Por Marcos Araújo

Policiais militares e civis e homens do Corpo de Bombeiros e do Sistema Prisional de Juiz de Fora ocuparam as ruas das vilas Esperança I e II, na Zona Norte, na tarde de ontem. A ação, batizada de Operação Cavalo de Troia II, teve como objetivo cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão, além de identificar autores de crimes de homicídio, roubo e tráfico de drogas. A manobra também é uma resposta das polícias aos acontecimentos recentes, incluindo um homicídio e uma tentativa de assassinato, que deixaram as duas comunidades acuadas. Ontem, por volta das 15h30, viaturas das polícias Civil e Militar começaram a ocupar pontos estratégicos na região, impedindo as vias de acesso aos bairros. Na Rua Dona Ana Sales, uma das principais entradas para as comunidades, uma barreira de policiais armados, viaturas e até militares da Cavalaria da PM foi montada. Motoristas e veículos foram abordados. A intenção era impedir que pessoas com mandado de prisão em aberto conseguissem escapar do bloqueio. O helicóptero da PM também sobrevoou toda a área, dando cobertura à varredura que era realizada em terra pelas viaturas.
Uma motocicleta da PM, com um alto-falante, percorreu as ruas das duas vilas, com uma gravação incentivando a população a fazer denúncias pelo telefone 190, com intuito de colaborar com as averiguações policiais. Um desses comunicados ajudou na apreensão de drogas em uma casa, na Rua Nove. De acordo com o subcomandante do 27º Batalhão da PM, major Paulo Alex Moreira, cerca de 20 mandados expedidos pela Justiça seriam cumpridos durante a operação. Um deles, conforme a PM, seria de busca e apreensão na residência de uma jovem, que, na última quinta-feira, postou a foto de um revólver calibre 38 nas redes sociais. A operação, como apontou o major, iria ocorrer também durante a noite de ontem, e poderia se estender pela madrugada, para averiguação de denúncias. O resultado total do trabalho será divulgado na próxima segunda-feira. Entretanto, ontem mesmo pessoas foram conduzidas para a delegacia, assim como armas e drogas apreendidas.
A delegada Regional de Juiz de Fora, Sheila Oliveira, afirmou que esse tipo de ação é importante para aumentar a credibilidade das polícias junto à população. "Isso contribui para que os moradores possam se sentir mais seguros e contribuam com informações, a fim de que novas ações sejam traçadas." Ela também destacou o papel das redes sociais para as investigações. "Várias informações foram postadas pelos moradores, e isso ajudou demais no nosso trabalho, já que podemos checar as denúncias aqui no local."
A operação de ontem foi uma continuação de um trabalho iniciado pela PM na última terça-feira, quando as vilas Esperança I e II foram ocupadas pela força policial, em função de um confronto entre moradores das duas comunidades e de um tumulto, no último dia 15, quando um carro foi incendiado e pelo menos quatro pessoas ficaram feridas. Essa semana, a Tribuna também mostrou relatos dos moradores sobre ataques diários de gangues, cerceando atividades rotineiras como ir ao médico, à escola ou à igreja.
Ontem residentes ouvidos pela reportagem se mostraram satisfeitos com o trabalho policial. "Estávamos acuados sem poder sair de casa, sem poder ir ao posto médico, na Vila I. Tínhamos que procurar a UPA de Benfica em caso de doença. Era uma verdadeira guerra, com tiroteios, sempre nos horários de entrada e saída das escolas. Esperamos que a polícia permaneça por aqui, para que tenhamos paz", desabafou uma dona de casa, que mora há 18 anos na Vila Esperança II.

Galeria de Imagens: 


Fonte: Tribuna de Minas

quinta-feira, 20 de março de 2014

ABSURDO AGENTES DE SP ESTÃO APANHANDO E SOFRENDO COM TRUCULÊNCIA DA PM


FOTOS: SINDASP

Polícia Civil encontra 250kg de maconha em carro

Por: Tribuna
Veículo estava estacionado em um supermercardo
Veículo estava estacionado em um supermercardo

Duzentos e cinquenta quilos de maconha foram apreendidos dentro de um veículo pela equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos de Juiz de Fora. O entorpecente foi encontrado na noite de quarta-feira (19) dentro de um Citroën C4, que estava no estacionamento de um supermercado no Acesso Norte. Conforme a titular da delegacia especializada, Patrícia Ribeiro, a suspeita é que o local estivesse sendo usado como ponto de encontro para a entrega do material. Um jovem de 20 anos foi preso durante a ação policial. A delegada regional, Sheila Oliveira, destacou que, desde 2008, esta é a segunda maior apreensão da droga feita pela Polícia Civil em Juiz de Fora.
Patrícia Ribeiro afirmou que, na noite de quarta-feira, a equipe estava no estacionamento em busca de um outro carro que estaria sendo utilizado por um grupo suspeito de envolvimento em roubos na cidade. "Estávamos verificando uma denúncia de que um Golf estaria no local, e dentro dele teriam armas, utilizadas em roubos na cidade." Segundo a delegada, o carro suspeito não foi encontrado, mas durante verificação, os policiais da equipe observaram que no interior do Citroën haviam diversas bolsas nos bancos, o que causou desconfiança.
Quando o condutor se aproximou do carro, ele foi abordado e, ao verificarem o conteúdo das bolsas, os investigadores encontraram os tabletes de maconha. Parte dela estava acondicionada no porta-malas, e a maioria estava nos bancos. A titular da especializada destacou que ainda não se sabe a origem do tóxico e onde ele seria distribuído, mas a suspeita é de que iria abastecer o mercado local. "O carro tem placa de Juiz de Fora, e o preso é morador daqui. As investigações vão continuar, em parceria com a especializada de Homicídio e Antidroga", finalizou. 

Viatura da PM é apedrejada na Vila Olavo Costa em JF

Este é o 5º episódio do tipo em menos de 1 mês; dois adolescentes de 14 e 16 aos foram apreendidos

Por Tribuna
Vidro traseiro foi destruído por pedra jogada por adolescentes
Vidro traseiro foi destruído por pedra jogada por adolescentes
Mais uma vez, policiais militares foram recebidos com hostilidade em bairro de Juiz de Fora. Na manhã desta quinta-feira (20), uma viatura foi apedrejada e teve o vidro traseiro quebrado, na Vila Olavo Costa, Zona Sudeste. Em menos de um mês, este é o quinto episódio de investidas contra a PM na cidade. No caso de hoje, os suspeitos do ataque são dois adolescentes, de 14 e 16 anos.
De acordo com o comandante de policiamento do 2º Batalhão, subtenente Romero Haramato, dois policiais da 135ª Companhia procuravam suspeitos de terem furtado uma bicicleta no bairro. Durante patrulhamento, a PM se deparou com a dupla suspeita do crime, um deles estaria armado com revólver. Ao perceberem a aproximação da viatura, os suspeitos fugiram. Os militares continuaram as buscas e localizaram os adolescentes na Rua Jacinto Marcelino.
Conforme o subtenente, eles teriam resistido à abordagem, desacatando e ainda fazendo ameaça aos policiais. "Formou-se um aglomerado de pessoas no entorno dos policiais, e os suspeitos arremessaram pedras na viatura. Para evitar um confusão maior, os policiais resolveram sair do local e pedir reforço".
O helicóptero Pégasus e diversas viaturas foram deslocadas, e a dupla foi encontrada em uma residência na Rua Filonilia Carlota de Jesus. Os adolescentes foram apreendidos e levados para a delegacia. A viatura foi periciada e nenhum policial foi ferido.
No último final de semana, a afronta contra a PM aconteceu no Bairro Milho Branco, na Zona Norte, onde um homem atirou contra um militar, que revidou. No dia 6 deste mês, dois jovens, de 19 e 20 anos, furaram um bloqueio montado pela Polícia Militar e ainda dispararam contra os policiais na Avenida Presidente Costa e Silva, no Bairro São Pedro, Cidade Alta. No dia 24 de fevereiro, militares foram recebidos com hostilidade na Vila Esperança II. Três dias antes, a corporação já havia sofrido uma investida, quando cerca de 40 moradores da Vila Bejani, Zona Norte, usaram paus, pedras e atiraram contra o militares, que precisaram usar bomba de efeito moral, munições de borracha e bastões para conter a agressividade.

Criança encontrada com 61 pedras de crack no HPS

Imagem Ilustrativa
Sessenta e uma pedras de crack foram localizadas no bolso da bermuda de um menino de 9 anos, que deu entrada para atendimento no Hospital de Pronto Socorro (HPS). O caso foi registrado pela Polícia Militar na tarde da última quarta-feira (19), por volta das 17h. De acordo com o boletim de ocorrência, um funcionário do hospital acionou a PM, após a droga ser encontrada quando o garoto estava sendo atendido por um médico. Ele deu entrada na unidade porque sofreu uma queda de bicicleta, no Bairro Bela Aurora, Zona Sul.
Conforme o documento policial, o profissional que atendeu a criança diagnosticou traumatismo cranioencefálico e escoriações no braço esquerdo. O menino estava muito agitado, permanecendo em observação para avaliação neurológica e pediátrica. Em contato com a mãe, ela relatou aos policiais que não sabia quem poderia ter dado a droga ao filho e também não tinha conhecimento se ele estava na companhia de alguém quando sofreu o acidente. O Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o caso, informando que a mulher já era assistida pelo órgão, uma vez que seria mãe de 13 filhos, e um deles, de 18 anos, seria usuário de drogas.
As pedras de crack apreendidas no bolso do garoto foram recolhidas e encaminhadas para a delegacia de Polícia Civil, onde o caso será investigado. Nesta quinta, a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde informou que o menino permanecia internado na enfermaria do HPS, lúcido, estável e orientado. Ele já tinha recebido ordem de transferência para a Santa Casa.

ASSIM QUE É! MESMO DE LONGE ESTAMOS COM VOCÊS!

Grevistas entregam chaves de CDP para Polícia Civil alojar presos

Responsabilidade da operação em Sorocaba foi assumida pela Polícia Civil.
Agentes penitenciários se recusaram a acompanhar e ajudar com a ação.

Jéssica Pimentel Do G1 Sorocaba e Jundiaí

Grevistas entregam chaves de CDP para Polícia Civil alojar presos (Foto: Jéssica Pimentel/G1)Momento em que delegado seccional abriu o CDP de Sorocaba (Foto: Jéssica Pimentel/G1)

Depois de quase 10 horas de espera, os 30 presos que aguardavam liberação em frente ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba (SP) foram levados para dentro da unidade por policiais civis. De acordo com o delegado da Seccional de Sorocaba, Fabio Laino Cafisso, os agentes penitenciários em greve não resisitiram à entrada dos policiais e entregaram as chaves do presídio, porém, não acompanharam a operação, que foi feita sob responsabilidade da Polícia Civil.

Pouco antes da entrada dos policiais civis, os agentes fizeram uma corrente em frente à unidade penitenciária, mas liberaram a entrada. Policiais militares que acompanham a movimentação não precisaram intervir. Os grevistas se recusaram a abrir celas e fazer a contagem dos presos.
Além do reajuste salarial, os agentes penitenciários que atuam no CDP de Sorocaba reclamam que a unidade não tem produtos de higiene, água potável, comida e falta mão de obra. Os agentes relatam também que o CDP está com mais de 1,5 mil presos, sendo que a capacidade é para 478.
Superlotação
Os 30 presos que entraram no CDP de Sorocaba na tarde desta quinta-feira, eram parte dos 80 que estavam na cadeia de São Roque (SP). Uma decisão tomada pelo juiz corregedor da cadeia, Flávio Roberto de Carvalho, proíbe que mais de 80 detentos fiquem no local.
De acordo com o delegado, Fábio Laino Cafisso, das 30 vagas que haviam sido liberadas na cadeia de São Roque, 20 já foram preenchidas por outros presos. A cadeia da cidade tem capacidade apenas para 24 detentos. “Infelizmente precisamos estar atentos com essa situação. Logo a cadeia ficará superlotada novamente e nós teremos que tomar outras medidas”, conclui.
Grevistas entregam chaves de CDP para Polícia Civil alojar presos (Foto: Jéssica Pimentel/G1)Policiais militares foram chamados mas não precisaram intervir (Foto: Jéssica Pimentel/G1)

Dep. Lincoln Portela solicita Governador convocação dos excedentes do concurso ASP 2012



terça-feira, 18 de março de 2014

SEDS convoca 5.500 candidatos para curso de formação


 Publicação no IOF 18/03/2014, Link abaixo:
 http://jornal.iof.mg.gov.br/xmlui/handle/123456789/116387


Listagem nominal estará disponível no site do IBFC, após as 16 HORAS

Violência explode em Juiz de Fora

Polícia Civil anuncia mudança de estratégia contra criminalidade e garante que vai haver mais repressão; Polícia Militar diz que monitora gangues

Por Renata Brum, Sandra Zanella e Michele Meireles
Delegada Regional Sheila Oliveira garantiu que as mudanças serão imediatas na área de investigação
Delegada Regional Sheila Oliveira garantiu que as mudanças serão imediatas na área de investigação
A violência explode em Juiz de Fora. Da noite da última sexta-feira até a madrugada desta segunda (17), cinco pessoas foram assassinadas na cidade, sendo três executadas sumariamente em uma residência no Bairro São Sebastião, Zona Leste, onde funcionaria uma suposta boca de fumo. Um quarto ocupante do imóvel, um adolescente, 16, só sobreviveu porque fingiu estar morto. Ele permanece internado em estado grave. Poucas horas depois, outro jovem, 20, foi morto com um tiro na cabeça durante festa de aniversário no Bom Jardim, também na Região Leste. Na madrugada de segunda, um homem, 34, foi encontrado sem vida com perfurações na região do pescoço e cabeça na Vila Esperança II, Zona Norte. No mesmo bairro, na noite de domingo, um jovem de 18 anos foi baleado, mas permanece internado em estado grave. Com esses casos, em menos de três meses deste ano, já chega a 42 o número de homicídios em Juiz de Fora, índice maior do que o registrado em todo o ano de 2009, quando foram contabilizados 39 assassinatos. Em todo o ano passado, foram 139 mortes violentas. O número deste início de ano quase se equipara ao de Uberlândia, cidade com mais de 700 mil habitantes no Triângulo Mineiro, onde, até esta segunda-feira, haviam sido registrados 48 homicídios.
A gravidade do cenário atual levou as polícias a anunciarem ontem alterações nas ações. "Chegou em um nível que é preciso mudar de estratégia. Conversei com o juiz do Tribunal do Júri e também estive reunida com o pessoal operacional da Polícia Civil e com a inteligência da Polícia Militar. Concluímos que é preciso alterar as estratégias: vai haver mais repressão, e as mudanças serão imediatas na área de investigação", anunciou a delegada regional de Polícia Civil, Sheila Oliveira.
Em nota, a assessoria organizacional da 4ª Região da Polícia Militar (4ªRPM) informou que a PM vem acompanhando "com a atenção devida todos os fatos ocorridos nos primeiros meses do ano, que requereram a intervenção da instituição e adotando, de maneira constante, as ações que têm por objetivo minorar tais eventos". Segundo a PM, gangues da cidade vêm sendo monitoradas pelo serviço de inteligência da instituição. A partir da identificação dos integrantes, a PM desencadeia operações para que os suspeitos sejam presos.

Afronta às ações policiais
Além das cinco mortes na cidade, foram seis registros de tentativas de homicídios em bairros distintos, com cinco feridos. Três ficaram em estado grave e estão em unidades intensivas do Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus. Ainda durante o fim de semana, houve novo enfrentamento à PM, o que tem se tornado mais frequente, principalmente no último mês. A última afronta aconteceu no Bairro Milho Branco, Zona Norte, quando uma viatura da corporação foi verificar a denúncia de uma briga generalizada. Ao se aproximar de um grupo em um Fiat Tipo, um dos homens pegou uma arma e tentou fugir, atirando contra um dos militares, que revidou.
Na semana passada, dois jovens, de 19 e 20 anos, furaram um bloqueio policial e ainda dispararam contra os policiais na Avenida Presidente Costa e Silva, no São Pedro, Cidade Alta. Militares, que não chegaram a ser alvejados, revidaram os tiros e conseguiram prender a dupla. Mas após a prisão, houve ameaça de ataque à unidade da 99ª Companhia da PM. No dia 24 de fevereiro, militares foram recebidos com hostilidade na Vila Esperança II. Três dias antes, a corporação já havia sido atacada com paus, pedras e tiros e precisou usar bomba de efeito moral, munições de borracha e bastões para conter a agressividade de moradores da Vila Bejani, Zona Norte.
Também em nota, a PM esclareceu que "os enfrentamentos às ações da Polícia Militar denotam que os policiais estão agindo com o rigor que a situação exige, dentro do estrito cumprimento às normas legais, e não vão esmorecer para manter a paz social". A corporação afirmou ainda que ataques semelhantes contra as polícias "são executados em outros Estados da Federação. Pessoas moradoras de Juiz de Fora, que, talvez por imitação, tentam praticar tais atos, mas a Polícia Militar está pronta para dar as respostas necessárias, tendo realizado as prisões dos autores, sem que tenham sido registradas mortes em ambos os lados."
Na última sexta-feira, outra ocorrência chamou a atenção, quando moradores dos bairros Vila Esperança I e II, na Zona Norte, se enfrentaram. Como nos grandes centros, um carro foi incendiado, tiros disparados e pelo menos quatro pessoas ficaram feridas, uma delas baleada no pé. A ocorrência deixou moradores acuados. As apreensões feitas pela polícia no último fim de semana mostram que os criminosos estão cada vez mais armados. Também na sexta-feira, policiais apreenderam coquetéis molotovs e bombas caseiras com alto poder de destruição, que seriam utilizadas em briga de gangues rivais na Cidade Nova, na Zona Sul.

Postagem indisponível

Em resposta a um pedido legal recebido pelo Google, removemos esta postagem.

segunda-feira, 17 de março de 2014

Nova direção assume Penitenciária Pimenta da Veiga em Uberlândia

Coronel Flavio Lobato pediu exoneração do cargo depois de 12 anos.

Rafael Rodrigues assume diretoria de Penitenciária de Uberlândia (Foto: Fernanda Resende/G1)
Rafael Rodrigues assume diretoria de Penitenciária
de Uberlândia (Foto: Fernanda Resende/G1)
 

Depois de 12 anos na direção da Penitenciária Pimenta da Veiga, o coronel Flavio Lobato pediu exoneração do cargo. Quem assumiu o lugar dele foi  o  Agente Penitenciário de carreira Rafael Rodrigues dos Santos, que trabalhava como diretor-geral adjunto do Presídio Professor Jacy de Assis. A notícia foi informada pelo diretor de Referência do Sistema Prisional na 9ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp), coronel Adanil Firmino da Silva, durante coletiva para a imprensa na tarde desta sexta-feira (14).
Segundo Adanil Firmino, o coronel Lobato deixou o cargo no início do mês, no dia 5. “Ele saiu a pedido e interesse pessoal dele. Se justificou dizendo que estava um pouco cansado e que a tendência agora era cuidar dele”, contou.
Adanil Firmino disse ainda que quando vaga um diretor, outro é imediatamente escolhido para assumir o cargo. “Para ser diretor geral de unidade tem que seguir alguns requisitos, dentre eles ser agente penitenciário de carreira e ter curso superior. O Rafael Rodrigues cumpre todos os quesitos”, explicou.

Para fazer a transição, o diretor-geral da Penitenciária Nelson Hungria (Contagem), Luiz Carlos Danunzio, esteve em Uberlândia. Ele passou quase uma semana avaliando a situação da Penitenciária para repassar para ao diretor.
A nova diretoria, formada por quatro pessoas (diretor geral, diretor de ressocialização, diretor de segurança e diretor administrativo) tomou posse nesta quinta-feira (13).
A nova diretoria está fazendo uma avaliação em todas as áreas e afirmou que o que for necessário mudar, será mudado para o bem. “Vamos avaliar. Mudanças não acontecem do dia para a noite. Demandam tempo", afirmou o diretor Rafael Rodrigues.
O diretor adiantou que quer focar na questão de quadro de pessoas e na reativação da horta da Penitenciária. “É um desafio, mas eu estou preparado para isso. A intenção é trabalhar com transparência com familiares, presos e funcionários”, afirmou Rafael.
Coletiva foi marcada para falar da mudança de diretoria (Foto: Fernanda Resende/G1)Coletiva foi marcada para falar da mudança de diretoria (Foto: Fernanda Resende/G1)
Superlotação
 

Atualmente a penitenciária conta com 619 presos. Deste total, 53 são mulheres e 53 estão albergados. A capacidade máxima é de 396 presos. Sobre essa situação, Rafael Rodrigues disse que a superlotação é um problema de todas as unidades do país. “Temos que dar atenção, respostas e atendimento para todos os envolvidos. Com isso, conseguindo minimizar e administrar o problema”, explicou.  
 
Currículo

Rafael Rodrigues presta serviços para o sistema prisional há 11 anos, sendo cinco na área de diretoria. Antes de assumir o novo cargo, ele era diretor-adjunto do Presídio Professor Jacy de Assis. Rafael é formado em Gestão Pública.

Tentativa de roubo a policial civil que terminou em morte é apurada em MG

delegado bernardo penna uberlândia (Foto: Vanessa Duarte/G1)
Fernanda Resende Do G1 Triângulo Mineiro
Delegado falou sobre o caso nesta segunda-feira
(Foto: Vanessa Duarte/G1)

 

Inquérito foi instaurado e deve ser finalizado em 30 dias.
Criminoso abordou policial e tentou levar caminhonete dele em Uberlândia.


Devem ser finalizados em 30 dias os inquéritos que apuram a tentativa de roubo a caminhonete de um policial civil de Uberlândia e a circunstâncias da morte de um dos assaltantes. O crime ocorreu na sexta-feira (14) durante a abordagem de uma dupla de criminosos ao civil, depois que ele estacionou o veículo. Houve troca de tiros e um dos ladrões morreu no local. O outro conseguiu escapar e está foragido.
O delegado responsável por um dos inquéritos, Bernardo Pena Salles, conversou com o G1 na tarde desta segunda-feira (17). Ele disse que por volta das 19h do dia do crime o policial estava na Avenida Belo Horizonte, no Bairro Martins, quando foi abordado por dois homens armados, que anunciaram o assalto. “Um deles chegou a mandar o policial entrar na caminhonete. O outro notou que o civil estava armado e gritou ‘é polícia, é polícia’. E depois disso, houve a troca de tiros”, explicou o delegado.
Ainda segundo Bernardo Salles, o policial não percebeu que um dos disparos teria acertado um dos criminosos, pois estavam de lados opostos. “Ele só percebeu que o assaltante foi baleado quando o comparsa dele conseguiu fugir. O policial se aproximou do baleado, mas ele já estava sem vida. Em seguida, já acionou a equipe de investigadores”, acrescentou.
Do lado do corpo foi encontrado um revólver calibre 38 com numeração raspada e contendo cinco cartuchos, sendo quatro intactos. O delegado afirmou que os laudos, tanto pericial quanto da necropsia, ainda não ficaram prontos. Bernardo Salles disse que o baleado já havia sido preso em flagrante pelo mesmo crime no ano passado: roubo a caminhonete, e que ele cumpria pena em liberdade.
O policial civil já prestou depoimento e, segundo o delegado, pelo menos três testemunhas serão ouvidas no decorrer da semana.

PM patrulha Centro após baile funk e apreende rifle

Por Tribuna
O carona retirou o rifle debaixo da jaqueta e dispensou a arma no chão
O carona retirou o rifle debaixo da jaqueta e dispensou a arma no chão

Um rifle calibre 22 foi apreendido pela Polícia Militar, no final da noite deste domingo (16), durante patrulhamento após um baile funk no Centro de Juiz de Fora. De acordo com o assessor de comunicação do 2º Batalhão da PM, tenente José Augusto Viana, por volta das 23h30, equipes do Tático Móvel e da Patrulha de Prevenção Ativa da 30ª Companhia da PM avistaram dois suspeitos em uma moto Falcon e deram ordem de parada. O carona retirou o rifle debaixo da jaqueta que usava e dispensou a arma de cano longo no chão, próximo ao Terreirão do Samba, na Avenida Brasil. Em seguida, o condutor fugiu, junto com o comparsa, dirigindo a moto em alta velocidade. As viaturas policiais não conseguiram acompanhar o veículo, e ninguém foi preso.
Outras duas armas foram apreendidas na noite desse domingo. Por volta das 23h, denúncia de disparo no Três Moinhos, Zona Leste, levou a PM a encontrar uma garrucha e uma munição no jardim de uma casa na Rua José de Castro Ribeiro. O morador, 56 anos, afirmou aos militares que a arma não era sua. A suspeita é de que alguém teria dispensado a garrucha no local, já que a residência havia sido invadida e apedrejada momentos antes durante uma briga envolvendo três irmãos. 
Já na Vila Olavo Costa, Zona Sudeste, um jovem, 18, foi flagrado pela PM com um revólver calibre 38, carregado com três munições, por volta das 21h30. Policiais já haviam recebido denúncia de que o suspeito estava portando arma e ameaçando um adolescente, 14, de morte. O rapaz foi abordado quando seguia de bicicleta para casa e pego com a arma na cintura. Ele ainda disse que o revólver pertencia a um amigo dele que já foi assassinado e alegou estar andando armado para se proteger. O suspeito foi autuado em flagrante na 1ª Delegacia Regional e encaminhado ao Ceresp.

sexta-feira, 14 de março de 2014

CERESP/JF INAUGURA MAIS UMA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA

  Galpão construído através de parceria público-privada com a Cooperativa de Costura Ebenézer de Avelar, no qual serão empregados inicialmente 50 acautelados desta Unidade Prisional.Informamos que o Galpão foi construído utilizando exclusivamente a mão de obra de presos desta U.P., tendo sido gastos cerca de R$120.000,00 (cento e vinte mil reais) em materiais na edificação, a qual possui o total de 150 metros quadrados.

 Inicialmente, 50 detentos foi inaugurado na manhã desta sexta-feira (14) no Ceresp, no Bairro Linhares, Zona Leste de Juiz de Fora. Durante a solenidade, o diretor da unidade, Giovane de Moraes Gomes, recebeu autoridades ligadas à segurança pública e aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da cidade. O deputado estadual Lafayette Andrada, ex-secretário de Estado de Defesa Social, também esteve no evento, que contou com homenagens a alguns dos presentes. De acordo com a direção do Ceresp, o galpão, com cerca de 150 metros quadrados, foi construído por meio de parceria público-privada com a Cooperativa de Costura Ebenézer de Avelar. A edificação foi feita exclusivamente com a mão de obra de presos, sendo gastos R$ 120 mil em materiais. Para a presidente da Comissão de Direitos Humanos da Subseção da OAB de Juiz de Fora, Elvia Rocha, a iniciativa é muito válida. "É uma forma de ressocializar o preso, oferecendo oportunidade de trabalho." Cerca de cem detentos do Ceresp já trabalhavam em duas malharias, uma fábrica de blocos e outra de embalagem plástica.



 Na ocasião foram homenageadas as seguintes autoridades:
 
-Promotora de Justiça da Comarca de Juiz de Fora, Dra. Sandra Fátima Totte
-MM. Juiz da Vara de Execuções Criminais da Comarca de Juiz de Fora, Dr. Amaury de Lima e Souza
-MM. Juiz da Vara do Tribunal do Juri da Comarca de Juiz de Fora, Dr. José Armando Pinheiro da Silveira
-Superintendente de Atendimento ao Preso, Dr. Helil Bruzadelli Pereira da Silva
-Ilmo. Prefeito da Cidade de Juiz de Fora, Dr. Bruno Siqueira
-Exmo. Deputado Federal, Dr. Marcus Pestana
-Presidente da Câmara Municipal de Juiz de Fora – MG, Dr. Julio Carlos Gasparette
-Exmo. Deputado Estadual, Dr. Lafayette Luiz Doorgal de Andrada

Informação aos docentes (Matérias curso de formação)

EM BREVE INFORMAÇÕES SOBRE CURSO TÉCNICO DE FORMAÇÃO DE AGENTES PENITENCIÁRIOS.

ORIENTAÇÕES AOS DOCENTES
REGULAMENTO
 
AULAS: BIOSEGURANÇA; COMUNICAÇÕES OPERACIONAIS; DEFESA PESSOAL; DIREITO ADMINISTRATIVO; DIREITO CONSTITUCIONAL; DIREITO PENAL; DIREITOS HUMANOS; DROGAS; ETICA E CIDADANIA; GERENCIAMENTO DE CRISES; INSTRUMENTOS DE MENOR POTENCIAL OFENSIVO; INTRODUÇÃO À INTELIGENCIA DO SISTEMA PRISIONAL; LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL; LEGISLAÇÃO JURÍDICA ESPECIAL; LEI DE EXECUÇÃO PENAL; MANEJO E EMPREGO DE BASTÃO-TONFAS; REDAÇÃO OFICIAL; RELAÇÕES HUMANAS; SISTEMA DEFESA SOCIAL; TÉCNICAS DE ALGEMAÇÃO; TÉCNICAS DE ESCOLTA; USO PROGRESSIVA DA FORÇA; PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO; ESTADO DE CHOQUE,HEMORRAGIA, FERIMENTOS; FRATURAS E IMOBILIZAÇÕES; GESTÃO DA RESSOCIALIZAÇÃO; INFOPEN
 
DISCIPLINASBIOSEGURANÇA ; COMUNICAÇÕES OPERACIONAIS; DEFESA PESSOAL; DIREITO ADMINISTRATIVO; DIREITO CONSTITUCIONALDIREITO PENAL; DIREITOS HUMANOS; DROGAS; ÉTICA; GERENCIAMENTO DE CRISES; INSTRUMENTOS DE MENOR POTENCIAL OFENSIVOINTRODUÇÃO À INTELIGENCIA DO SISTEMA PRISIONALLEGISLAÇÃO INSTITUCIONALLEGISLAÇÃO JURÍDICA ESPECIALLEI DE EXECUÇÃO PENAL; USO BASTÃO TONFAREDAÇÃO OFICIAL; RELAÇÕES HUMANASSISTEMA DEFESA SOCIALTÉCNICAS DE ALGEMAÇÃOTÉCNICAS DE ESCOLTAS; USO PROGRESSIVO DA FORÇA. INFOPEN; PRIMEIROS SOCORROS;  PROCESSO OPERACIONAL PADRÃO; PROCEDIMENTO DE GESTÃO EM RESSOCIALIZAÇÃO
 
QTEs: 2ª RISP turmas 25_36; 2ª RISP turmas 1_122ª RISP turmas 13_24; 2ª RISP turmas 37_46; 13ª RISP_Barbacena; 6ª RISP - 6 TURMAS- LAVRAS;

Fonte: http://www.escolideres.com.br/ver/seds-secretaria-de-estado-de-defesa-social

Policiais fazem curso para controle de distúrbio em JF



PMs passam por treinamento desde segunda-feira
PMs passam por treinamento desde segunda-feira

Será realizada às 18h desta sexta-feira (14), na sede do 2º Batalhão de Polícia Militar (2º BPM), a formatura do Curso de Operação de Controle de Distúrbio, que visa a preparar policiais militares para situações de confronto com manifestantes e para policiamento durante eventos da Copa do Mundo do 2014. Nesta quinta, a Tribuna acompanhou uma das aulas do curso. Os participantes receberam treinamento de técnicas e táticas para operação em manifestações violentas, nas quais já não existem possibilidades de negociação. As aulas começaram na última segunda-feira, com 45 militares, sendo quatro deles representantes do Corpo de Bombeiros. Entretanto, até esta quinta, o curso contava apenas com 27 participantes, já que, ao longo da semana, alguns não atingiram os objetivos, sendo desligados por deficiência técnica ou tática ou por inaptidão física ou psicológica. 
As aulas são ministradas por nove policiais do Batalhão de Polícia de Eventos de Belo Horizonte. "O curso é voltado para desenvolver habilidades para controle de massas em eventos de grandes proporções e manifestações públicas pacíficas ou ilegais e violentas", ressaltou o subcoordenador, tenente Fernando Antunes, do Batalhão de Polícia de Eventos. Ele acrescenta que os participantes também recebem instruções para uso de instrumentos de menor potencial ofensivo, como granada e munições de borracha, e são avaliados quanto ao comportamento diante de situações de alto estresse. 

quarta-feira, 12 de março de 2014

Mais um ataque contra Agente Penitenciário em Itajubá/MG

Casa de agente penitenciário é alvo de tiros em Itajubá; este é 7º ataque na região O agente foi seguido por duas motos, quando chegava em casa de carro. Um dos garupeiros atirou e atingiu a janela da residência. O mês de março já registrou sete ataques no Sul de Minas


Luana Cruz
 


Mais uma casa de agente penitenciário foi alvo de tiros no fim da noite de terça-feira em Itajubá, no Sul de Minas Gerais. Esse é o sétimo ataque na região somente em março, sendo que a onda de violência mobilizou as forças de segurança em Minas em uma investigação. Os responsáveis pelos tiros em casa de carcereiros, presídios e incêndios em coletivos ainda não foram presos. Segundo o delegado regional, Pedro Henrique Rabelo Bezerra, alguns suspeitos já estão identificados e devem ser capturados nos próximos dias. Ele não informou mais detalhes das apurações que estão sob sigilo.

Por volta de 23h30 de terça-feira, um agente penitenciário do Presídio de Itajubá seguia de carro para casa, no Bairro Rebourgeon, e percebeu que era seguido por duas motos. Quando estacionou na porta da residência, um dos garupas tirou uma arma e disparou várias vezes contra o servidor, acertando a janela da casa. O agente saiu rapidamente do carro e conseguiu entrar no imóvel sem ser atingido. A PM foi acionada e encontrou uma marca de bala no vidro, além de vestígios de munição na calçada.

No dia 7 de março, a polícia apreendeu três menores, suspeitos de envolvimentos nos ataques, mas descartou a participação deles. As investigações também descartaram a relação da violência em Itajubá com a morte de nove criminosos durante uma ação conjunta entre as polícias de Minas e São Paulo, no dia 23 de fevereiro.

Onda de violência

O primeiro dos sete ataques aconteceu na madrugada de 4 de março quando o agente penitenciário, que trabalha no Presídio de Santa Rita do Sapucaí, dormia em casa no Bairro Vila Rubens, em Itajubá. Ele escutou disparos de arma de fogo, esperou os tiros acabarem e quando saiu do imóvel, encontrou o portão em chamas. Vizinhos ajudaram a apagar o incêndio e acionaram a Polícia Militar (PM).

Conforme a PM, a perícia constatou seis disparos de revólver calibre 38 no portão, muro e para-brisa do carro do morador. Também foi constatado que o fogo começou com um coquetel molotov, montado com uma garrafa de plástico e gasolina. Os militares fizeram rastreamento para tentar prender os envolvidos, mas ninguém foi encontrado.

O segundo caso foi por volta de 22h30 de 4 de março, quando o motorista de um ônibus da Viação Valônia seguia pela Avenida Wagner Lemos Machado, e foi surpreendido por vândalos na altura do Bairro Jardim Colinas. Um homem deu sinal para o coletivo, se passando por passageiro, mas ao entrar na porta da frente do veículo colocou um capuz branco e mostrou uma arma para o condutor.

O motorista foi obrigado a descer e, imediatamente, outros três homens encapuzados entraram pela porta do meio. Eles jogaram gasolina nos bancos e no piso, em seguida, incendiaram o ônibus que ficou destruído. Os bombeiros apagaram as chamas e ninguém foi preso.

O terceiro ataque aconteceu na madrugada de 5 de março na casa onde mora um diretor do Presido de Itajubá, no Bairro Vila Isabel. Bandidos dispararam quatro tiros no portão e deixaram um cartaz colado com os dizeres: “contra a opressão carcerária”. O papel foi recolhido pela PM e encaminhado para a Polícia Civil, porém nenhum responsável pelo ataque foi preso.

Na noite do dia 5, outros três ataques aconteceram. O portão e o muro da casa de um agente penitenciário foram alvos de sete tiros, conforme informou a PM. Agentes do Presídio de Poços de Caldas também acionaram a PM, porque ouviram estampidos na porta do prédio. No mesmo dia, quatro homens encapuzados invadiram um coletivo da Viação Valônia e atearam fogo em Itajubá. O motorista contou que seguia pela Avenida José Souza Nogueira, no Bairro Santa Rosa, quando um homem deu sinal para o coletivo e, armado, entrou pela porta da frente. Enquanto isso, outros três comparsas entraram nas outras portas e espalharam gasolina. Todos estavam encapuzados, conforme relatou o condutor do veículo. Os bombeiros apagaram as chamas.

Doação de Sangue para nossa amiga ASP Michelle do CERESP/JF


Prezados (as), companheiros (as), do Sistema Prisional Mineiro e familiares, estamos precisando de DOADORES DE SANGUE, para nossa colega de trabalho Michelle Cristiane Moreira de Andrade, lotada no CERESP/JF, a mesma se encontrada hospitalizada para tratamento de saúde e necessita de doadores.


É só se dirigir ao hemominas:

Doar para Michelle C. Moreira
Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Agentes penitenciários de SP iniciam greve

Classe reivindica fim do teto base, bônus e bico legalizado.
Ação deve atingir 25 dos 30 presídios da região de Presidente Prudente.

Ynaiê Botelho Do G1 Presidente Prudente

Agentes penitenciários iniciaram paralisação nesta segunda-feira nas unidades prisionais do Oeste Paulista (Foto: Reprodução/TV Fronteira)
Agentes penitenciários iniciaram paralisação nesta
segunda-feira nas unidades prisionais do
Oeste Paulista (Foto: Reprodução/TV Fronteira

A greve dos agentes penitenciários do Estado de São Paulo teve início nesta segunda-feira (10), por volta das 4h. De acordo com o presidente estadual do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo (Sindasp), Daniel Grandolfo, dos 30 presídios da região de Presidente Prudente, 25 devem aderir à paralisação.
Conforme o sindicalista, a categoria reivindica diversos benefícios, entre eles, bônus para os profissionais, correção do auxílio-alimentação, fim do teto base, convocação remunerada durante a realização de blitz, redução das classes de carreira e bico legalizado.

“Também precisamos chamar atenção do Estado sobre a superlotação das unidades prisionais e da falta de trabalhadores. Passamos 2013 inteiro tentando negociar com o governo, que não nos atendeu”, afirma o sindicalista.
Segundo ele, 80% das unidades prisionais do Estado farão parte da paralisação. “Isso inclui a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau  e a Penitenciária de Presidente Bernardes”, diz. No presídio, estão os principais chefes da quadrilha que age dentro e fora dos presídios paulista, como Marco Willians Camacho, o Marcola.
Ainda segundo o sindicato, no Oeste Paulista há também adesão nas penitenciárias de Presidente Prudente, no distrito de Montalvão, Presidente Bernardes e Martinópolis. Agentes também paralisaram os serviços em São José do Rio Preto, Serra Azul e Marília. Uma lista com todas as unidades participantes do movimento deve ser divulgada pelo Sindasp até o final da manhã.
Grandolfo afirma que, durante a greve, apenas serviços essenciais serão realizados. “O recebimento de novos presos, rol de visitas, escolta, transferências, assistência judicial e qualquer tipo de trabalho de pavilhão e de empresas, tudo vai ficar parado”, adianta.
O G1 tentou entrar em contato com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) por meio de ligações telefônicas, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

SPRAY DE PIMENTA EXTRA FORTE MELHOR PREÇO DA REGIÃO


 SPRAY DE PIMENTA EXTRA FORTE 60GR, VALOR R$ 65,00
 
 
 VENDEDOR: LUIZ (PELICANO)

contatos 
32 88717627
32 91134792

Receita abre concurso para auditor com salário de R$ 14 mil

O edital para o concurso público destinado ao cargo de auditor fiscal da Receita Federal já está disponível no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf), do Ministério da Fazenda. Publicado nesta segunda-feira (10), no Diário Oficial da União (DOU), o concurso irá preencher 278 vagas de nível superior, destas, 264 para ampla concorrência e 14 para portadores de deficiência. A remuneração inicial é de R$ 14.965,44 mensais, além de gratificações e benefícios.
Interessados em concorrer às vagas podem se inscrever a partir desta quinta-feira (13), no site da Esaf. O prazo encerra no dia 27 deste mês. A taxa de inscrição custa R$ 130. Os postos de trabalho estão direcionados para as unidades centrais da Secretaria da Receita Federal do Brasil, em Brasília, ou para suas unidades descentralizadas. As provas objetiva e discursiva acontecem nos dias 10 e 11 de maio, nas capitais de cada estado e no Distrito Federal.
Serão realizadas três provas. A primeira abrangendo conhecimentos objetivos gerais, valendo 70 pontos, a segunda relacionada a conhecimentos específicos, com total de 140 pontos, e a terceira discursiva, valendo 60 pontos. Os aprovados passarão, ainda, por uma sindicância da vida pregressa. A contratação ocorre pelo regime estatutário, que garante a estabilidade. O concurso terá validade inicial de seis meses, podendo ser prorrogado uma vez e pelo mesmo período.

sábado, 8 de março de 2014

Nossa Homenagem as Mulheres do Sistema Integrado de Defesa Social de MG

 Na verdade, a mulher não precisa de um dia específico, de uma data pré-estabelecida, o seu dia, são todos os dias, pois estão vivas e são atuantes independentemente de dia, na verdade, nunca têm folga!  
 As mulheres, sempre foram discriminadas, sempre estiveram em segundo lugar na escala de valores, e tudo isso se deve a esse regime patriarcal e machista em que vivem. Mas apesar disso tudo, elas estão cada vez mais conquistando o seu espaço e o seu lugar na sociedade. 
 Já foi comprovado estatisticamente, que a mulher sofre discriminação em todas as áreas, principalmente na parte profissional, pois a mulher mesmo sendo muito competente, quando ocupa o mesmo cargo de um homem, o seu salário é bem menor. mas os homens não são os únicos culpados, pois essa discriminação existe por parte das próprias mulheres. Uma mulher, geralmente não confia em outra para exercer um cargo importante e de confiança.
  Ser "feminista", não foi e nunca será a solução. A mulher não precisa se masculinizar para ser respeitada, achando que somente dessa forma ela poderá ser reconhecida e valorizada, pois mesmo sendo feminina, ou melhor, principalmente sendo feminina, ela pode mostrar o seu valor e a sua capacidade.  
 A mulher sabe que dispõe de muitas "armas" em seu favor, pois mesmo mostrando "fragilidade", ela pode ser forte e decidida, e dessa forma, tirar da sua "sensibilidade" a força de que precisa.

 Blog dos Agentes Penitenciários de Juiz de Fora

sexta-feira, 7 de março de 2014

Jovens e ex-funcionária são presos por roubo a pague fácil em JF

Assalto à agência de pagamento no Centro de Juiz de Fora foi em fevereiro.
Três foram presos e Polícia Civil investiga participação de outra pessoa.

Nathalie Guimarães Do G1 Zona da Mata

Prisão de suspeitos de assalto a agência de pagamento de Juiz de Fora (Foto: Nathalie Guimarães/G1)

 

Dois jovens de 26 e 29 anos e uma mulher de 39 foram presos suspeitos de participarem de um assalto a um pague fácil (agência de pagamentos) na Rua Halfeld, no Centro de Juiz de Fora, no dia 11 de fevereiro. A mulher, que era funcionária do estabelecimento, e o jovem de 26 anos foram presos nesta sexta-feira (7) após cumprimento de mandado de prisão. Já o jovem de 29 foi preso no dia 26 de fevereiro, quando participava de um roubo a uma lanchonete no Bairro São Pedro.
A Polícia Civil investiga o envolvimento de mais um suspeito no roubo à agência. Na época, segundo informações da Polícia Militar (PM), duas funcionárias foram rendidos por dois criminosos armados. Eles fugiram com R$ 118 mil pela Rua São João, no Centro, onde um terceiro suspeito esperava a dupla em um carro.

De acordo com a delegada de Repressão a Roubos, Patrícia Ribeiro, a Polícia Civil suspeitava da participação de um funcionário diante do modo como o roubo ocorreu e da facilidade que eles tiveram devido à ausência de um sistema de segurança, já que a loja havia sido inaugurada recentemente. Todos os presos eram moradores do Bairro Caiçaras. "Monitoramos o bairro onde a ex-funcionária morava e identificamos a participação dela. Um dos veículos que foi usado também foi visto na região da casa deles", explicou. A delegada informou que a mulher confessou ter passado todas as infomações para os criminosos, inclusive que no dia do roubo havia mais dinheiro em caixa.
Os R$ 118 mil não foram localizados, mas a Polícia Civil acredita que os jovens compraram veículos logo em seguida com o dinheiro roubado. Na casa da mulher foi encontrado parte do dinheiro, mas a delegada não soube precisar a quantidade.
A mulher e o jovem de 29 anos confessaram o crime e o outro negou as acusações. O de 29 anos já está no Centro de Remanejamento Prisional (Ceresp) de Juiz de Fora. O jovem e a mulher presos nesta sexta-feira serão levados, respectivamente, para o Ceresp e para a Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires, conforme explicou a delegada. A princípio, eles podem responder por roubo com emprego de arma de fogo e formação de quadrilha.
Ainda segundo a delegada, os jovens também são suspeitos de envolvimento em outros roubos na cidade. Um deles ocorreu em uma madereira no dia 17 de fevereiro na Rua Francisco Bernardino, no Bairro Cerâmica. Outro crime foi um roubo a uma casa noturna em dezembro do ano passado, e a delegada disse que um deles foi reconhecido pela vítima e que outro já trabalhou como segurança no local.